Polisario exorta o Conselho de Segurança a seguir no caminho para resolver o conflito da descolonização do Sahara Ocidental

NOVA YORK, 21 de novembro de 2017 – Antes da reunião do Conselho de Segurança das Nações Unidas de 22 de novembro sobre o Sahara Ocidental, a Frente POLISARIO reitera o seu apoio à missão do Sr. Horst Köhler, Enviado Pessoal do Secretário-Geral para o Sahara Ocidental, e insta os membros do Conselho a prestar as contribuições necessárias para o relançamento do processo de paz da ONU.

A Frente POLISARIO espera que o Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU) assuma a sua responsabilidade em relação ao povo do Sahara Ocidental e assegure o pleno respeito pelo seu direito inalienável à autodeterminação e à independência. O Conselho tem o dever de garantir que as suas próprias resoluções sejam respeitadas e implementadas na totalidade. A este respeito, a Resolução 2351 (2017) do CSNU pediu ao Enviado Pessoal que forneça uma atualização sobre o progresso rumo a uma solução duradoura e justa para o conflito do Sahara Ocidental, como uma questão de descolonização, no prazo de seis meses após a sua nomeação. Esta atualização – a ser realizada em fevereiro próximo – deve incluir um quadro concreto para o caminho a seguir que culminaria em negociações urgentes e presenciais entre a Frente POLISARIO e Marrocos.

No ínterim, é mais do que necessário que o Conselho aborde as questões em curso, a fim de criar condições mais favoráveis ​​para o novo processo de negociação. Marrocos continua a rejeitar o retorno ao Sahara Ocidental dos observadores da União Africana (UA) que foram ilegalmente expulsos por Marrocos em março de 2016. Ainda não houve uma “missão técnica” para a região de Guerguerat, no Sahara Ocidental, para examinar os problemas muito sérios criados pela violação unilateral de Marrocos dos termos do cessar-fogo, como solicitado na Resolução 2351 (CSC) do CSNU (2017).

Do mesmo modo, os contínuos abusos de direitos humanos e saqueos de recursos naturais por Marrocos no Território ocupado do Sahara Ocidental sugerem uma cultura de impunidade que não conduz a um processo de paz construtivo e duradouro.

A POLISARIO congratula-se com o aumento do empenho regional nessas questões sob a forma de uma maior cooperação UA-ONU no Sahara Ocidental.

“Com um novo Enviado Pessoal e um mandato claro do Conselho de Segurança, o processo de paz deve ser retomado, tendo em mente que o respeito do direito à autodeterminação do povo do Sahara Ocidental deve ser a orientação principal para qualquer esforço credível das Nações Unidas visando garantir uma solução duradoura e justa para o conflito do Sahara Ocidental, a última colônia africana na agenda das Nações Unidas. Para a Frente POLISARIO, o direito à autodeterminação do nosso povo e do nosso país é inalienável e, portanto, não é negociável “, afirmou Ahmed Boukhari, representante do Frente POLISARIO na ONU.

Uso de cookies

porunsaharalibre.org utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.plugin cookies

ACEPTAR
Aviso de cookies