26 Deputados Europeus denunciam situação dos presos políticos saharauis – Gdeim Izik

Numa carta promovida por Paloma Lopéz da Esquerda Unida de Espanha, enviada hoje à Alta Representante da UE para Política Externa e Segurança, Frederica Mogherini, deputados europeus de Eslovénia, Espanha, França, Grécia, Irlanda, Itália, Portugal, Reino Unido e Suécia instam a União a Mogherini a intervir para terminar os maus tratos e torturas a que têm sido sujeitos os presos políticos de Gdeim Izik e apelam à libertação imediata do grupo.

Os deputados signatários membros de vários grupos políticos , Grupo Confederal da Esquerda Unitária Europeia/Esquerda Nórdica Verde;  Grupo dos Verdes/Aliança Livre Europeia; Grupo da Aliança dos Democratas e Liberais pela Europa e Grupo da Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas no Parlamento Europeu, realçam a situação de saúde preocupante dos presos em Greve de Fome há mais de 3 semanas, os presos postos em “castigo” em celas minúsculas  conhecidas como “caixão” sem roupa, e o confinamento forçado de todos os presos de Gdeim Izik que estão 22 horas ou mais, detidos em celas individuais.

Exma. HR / VP Federica Mogherini,

Escrevemo-lhes na nossa capacidade de deputados do Parlamento Europeu para expressar nossa profunda preocupação com a situação de dois saharauis presos pelas autoridades marroquinas, Sidi Abdallahi Abbahah e Ahmed Sbaai, que
foram colocados em isolamento no dia 4 de dezembro.

A situação desses presos políticos é crítica: eles estão totalmente isolados, em células minusculas de isolamento chamadas “Caixas”, nús sem cobertores ou qualquer coisa para se cobrir e torturadas fisicamente pelas autoridades da prisão.

Acrescenta-se a tortura psicológica de estar sozinho durante todo o dia que é agravada pela interdição já existente das visitas de famíliares na prisão. Sidi Abdallahi Abbahah e Ahmed Sbaai estão num estado de saúde delicado. Ahmed Sbaai tem uma doença cardiaca crônica que não é monitorado por um médico.

Esse tipo de tortura e abusos são o modus operandi de Marrocos com os 19 presos Gdeim Izik, mas, neste caso, a questão da saúde é mais do que preocupante e pedimos que tome medidas sobre o assunto.

Este grupo de prisioneiros políticos saharauis está encarcerado desde 2010, quando foram presos no contexto do campo de protesto de Gdeim Izik. Todos foram acusados ​​do assassinato de 11 membros da força civil que alegadamente morreram durante o violento desmantelamento do campo. Esses homens foram condenado a 20 anos a prisão perpétua por um tribunal militar em 2013. A sentença foi confirmada em Julho de 2017, num julgamento que não respeitava o direito à presunção de inocência e onde nenhum crime pode ser provado, e todos os procedimentos foram baseados em documentação e confissões obtidas sob tortura.

No dia 16 de setembro, os 19 presos políticos saharauis foram dispersos em 7 prisões no Reino marroquino. Após esse dia, o tratamento dado pelas autoridades marroquinas ao os detidos viola as Regras Mínimas Padrão da ONU para os Prisioneiros, e está em violação dos acordos e convênios internacionais ratificados por Marrocos, bem como a própria lei marroquina.

Os presos são submetidos a assédio, confinamento por mais de 22 horas por dia e, em pelo menos, um caso, ainda mais tempo nos últimos três meses. Castigo cruel e desumano, falta de atenção médica e a violação dos direitos de visita das famílias são outras práticas de abuso que eles sofrem.

Vários dos detidos estão em greve prolongada de fome há mais de 3 semanas e estão em perigo de vida, como é o caso de Brahim Ismaili e Hassan Dah, que estão a vomitar sangue.

Instamos que V. Exa. e a União Européia intervenha nesta situação prejudicial, devido à delicada saúde de Sidi Abdallahi Abbahah e Ahmed Sbaai, e fornecer-lhes o cuidado humano adequado de acordo com o estabelecido no direito internacional humanitário e inste o governo marroquino a liberar os prisioneiros políticos do grupo Gdeim Izik.

Atenciosamente,

Paloma López Bermejo

Jytte Guteland

Bodil Valero

Ivo Vajgl

Martina Anderson

Matt Carthy

Lynn Boylan

Liadh Ni Riada

Patrick Le Hyaric

Nikolaos Chountis

Angela Vallina de la Noval

Tania González Peñas

Josu Juaristi Abaunz

Miguel Viegas

Marisa Matias

Javier Couso Permuy

Javier Nart

Miguel Urbán Crespo

Ana Gomes

Florent Marcellesi

Marina Albiol Guzmán

Luke Ming Flanagan

Barbara Spinelli

Estefania Torres Martínez

Xabier Benito Ziluaga

António Marinho e Pinto

Uso de cookies

porunsaharalibre.org utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.plugin cookies

ACEPTAR
Aviso de cookies