Khadda e Haddi prisioneiros políticos saharauis em protesto 48h

Os prisioneiros políticos saharauis do grupo Gdeim Izik, Mohamed Lamin Haddi e El Bashir Khadda, detidos na prisão de Tiflet, começaram hoje uma greve de fome de 48 horas em protesto contra o atraso da administração prisional local cumprir a promessa de transferi-los para outra prisão e assegurar o seu direito a estudar.

Passou mais de um mês depois que Haddi e Khadda suspenderam a sua greve de fome aberta entre novembro e dezembro do ano passado, após o compromisso da Administração Geral das Prisões de atender todas as suas justas reivindicações , baseadas principalmente no direito de estudar e melhorar as suas condições de detenção. A administração local da prisão adotou uma política de procrastinação, indiferença e incumprimento das suas obrigações em relação às reivindicações dos prisioneiros políticos saharauis, de acordo com informações obtidas pelo Comitê das Famílias dos Detenidos.

Os dois presos políticos saharauis decidiram fazer uma greve de fome de 48h em protesto contra a falta de cumprimento dos compromissos assumidos pela administração da prisão de Tiflet.

Haddi e Khadda foram transferidos no sábado, 16 de setembro de 2017, bem como 16 outros membros do grupo Gdeim Izik e dispersos em várias prisões do Reino da Marrocos.

Desde essa transferência arbitrária, todos os prisioneiros foram vítimas de descriminação, tortura ou maus tratos e realizarsm várias greves de fome.

Comentários fechados.

Uso de cookies

porunsaharalibre.org utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.plugin cookies

ACEPTAR
Aviso de cookies