Visita do Enviado Persoal do SG da ONU, Sr. Horst Köhler, ao Sahara Ocidental.

Ministério dos territórios Ocupados da RASD
Comunicado de imprensa
1º de julho de 2018

O enviado persoal da ONU, chegou a El Aaiun (capital do Sahara Ocidental), na quinta-feira 28 de junho, 2018, para iniciar a sua primeira visita aos territórios ocupados, a fim de ter uma melhor compreensão da situação real no terreno.

Esta visita enquadra-se no marco do estabelecido na última Resolução do Conselho de Segurança da ONU, sobre o Sahara Ocidental, em 27 de abril, que convida ambas as partes, a Frente Polisario e o Reino de Marrocos, a entrarem em negociações. directas, sem condições prévias, para chegar a um acordo que proporcione a autodeterminação do povo saharaui.

A partir do momento do anúncio da visita, as autoridades de ocupação marroquinas, colocaram todos os esforços para evitar qualquer sinal de expressão da livre vontade do povo saharaui, afogando a cidade num mar de forças de todos os tipos e condições de segurança, impondo um autêntico toque de recolher e lei marcial e estabelecendo o encerramento hermético do território a qualquer observador internacional que quisesse entrar. Tudo isso, com o objetivo de exibir, perante o enviado da ONU, a falácia de que o território é um refúgio de paz e estabilidade.

No entanto, a população do território ocupado, armada apenas com a superioridade moral indestrutível das suas reivindicações políticas e exibindo o seu desejo inequívoco de liberdade e independência, conseguiu quebrar toda essa demonstração de força e terror, que Marrocos tinha imposto em todas as ruas e bairros das cidades saharauis.
Assim, ao longo da sua ronda, o Sr. Köhler, testemunhou manifestações em que pessoas exibiam bandeiras da República saharaui, ou faixas pedindo a libertação dos presos políticos e gritaram slogans contra todos os tipos de ocupação e a favor da independência.

Depois de 43 anos de feroz ocupação militar, o povo saharaui renasceu das suas cinzas e voltou a mostrar perante o enviado da ONU o mesmo espírito de liberdade e independência que a Comissão de Visita das Nações Unidas de Maio de 1975 havia deixado para trás. bem refletida em seus relatórios. Na sua tentativa de conter a população, durante e após a visita, as forças marroquinas de repressão foram amplamente empregadas, com força desproporcional. Assim, o alto preço pago pela população civil saharaui está patente no caso de um jovem em estado crítico e de 128 feridos de gravidade diferente .

Uso de cookies

porunsaharalibre.org utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.plugin cookies

ACEPTAR
Aviso de cookies