Alemanha prepara Plano Marshall para África

Por Isabel Lourenço / Jornal Tornado

Nos últimos 12 meses cristalizaram-se e tornaram-se públicos os interesses económicos do Ocidente em África, desta vez pela mão da Alemanha.

Na senda de busca de mais mercados e controle de recursos naturais, mais uma vez África está na Ribalta dos interesses do Ocidente.

Trump disse no início de 2016 que a África devia ser recolonizada para ajudar a civilizá-la, e no final de 2016 a Alemanha anuncia um “Plano Marshall” para “resgatar a África” e reduzir os fluxos de migrantes para a Europa.

Após séculos de colonialismo, este continente foi assolado por guerras civis e conflitos na sua maioria com o apoio dos ex-colonizadores desta ou daquela fracção.

O mergulhar do continente num pântano de corrupção é noticia de primeira de página, por outro lado pouco ou nada se fala das conquistas positivas e dos países que alcançaram estabilidade e desenvolvimento económico e social.

Leer más …

A Universidade alemã de Leipzig acolhe uma conferência sobre a situação no Sahara Ocidental, com presença de Khadija Hamdi e Nueina Edjil

 Conferencia Universidad de Leipzig

Fonte: Red de información Maizirat/ElAaiun/Territorios ocupados / Foto: Red Maizirat

Edição Tradução EIC Poemario Sahara Libre

A Universidade de Leipzig na Saxônia realizou esta segunda-feira 12 dezembro uma palestra na faculdade de direito sobre os 25 anos de presença da Missão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental, a MINURSO. A conferência foi patrocinada pela Associação Alemã da Assembleia Geral das Nações Unidas e as regiões de Saxônia-Anhalt e a região de Turing. Esta conferência teve a participação de ativistas sociais proeminentes e professores universitários e um grupo de estudantes que recentemente visitou os acampamentos de refugiados saharauis.

A conferência foi presidida pela Sra Khadija Hamdi, Ministra da Cultura da RASD, e membro do Secretariado Nacional da Frente Polisário que esteve acompanhada pela militante e responsável saharaui, Nueina Edjil. As duas porta vozes informaram os participantes sobre os mais recentes desenvolvimentos da causa saharaui. A ministra da Cultura, disse no seu discurso que a MINURSO no Sahara Ocidental não desempenha o seu papel devidamente desde o acordo de cessar-fogo que foi assinado em 1991 e que previa a realização de um referendo de autodeterminação do povo saharaui.

Leer más …

Exodus – De onde eu vim não existe mais – 1º Vídeo brasileiro para a RASD TV

40-muestra-internacional-cine-sao-paulo

Fonte: Solidariedade Brasil-Rasd

Resistência Saharaui é destaque na 40ª edição da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo. O filme “Exodus – De onde eu vim não existe mais”, do diretor Hanke Levine, é uma co-produção Brasil-Alemanha e teve seu lançamento mundial na sala CineSesc como parte da Mostra Internacional e conta a história de seis refugiados. O drama de Napuli, Tarcha, Bruno, Dana, Nizar e Lahtow forçados a deixar seus lares e reconstruir a vida fora de seus países. Eles deixam a Síria, Palestina, Togo, Mianmar, Sudão do Sul e Sahara Ocidental e são acompanhados por dois anos pela produção do filme que registra a luta dos seis refugiados. A rotina dos saharauis nos acampamentos em Tindouf, na Argélia, compõe a obra.

A sessão de lançamento contou com grande público que, após a exibição, participou de uma rodada de perguntas com Fernando Sapelli, diretor de produção do filme.

Leer más …

A realização do referendo no Sahara Ocidental uma exigência do parlamento de Bremen

bremen

31 de março de 2016, porunsaharalibre.org

A urgência  da realização  do referendo de autodeterminação para o Sahara Ocidental esta na agenda internacional, não apenas a União  Africana como também  países da América Latina e alguns paises da Europa instam para que se realize com brevedidade o referendo continuamente obstaculizado por Marrocos desde 1991.

Assim foi o caso dos dois votos aprovados este mês no Parlamento Português e a votação em finais de fevereiro do Parlamento de Bremen, Alemanha. Também em Espanha vários governos regionais hastearam a Bandeira Saharaui em fevereiro em forma de reconhecimento. O parlamento de Bremen foi o primeiro da Alemanha a aprovar a decisão, que anexamos. O  movimento solidário alemão com o povo saharaui está a desenvolver esforços para que os outros parlamentos lhe sigam o exemplo.

Leer más …

Uso de cookies

porunsaharalibre.org utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.plugin cookies

ACEPTAR
Aviso de cookies