Colin Stewart, novo chefe da MINURSO

Nações Unidas – New York

Colin Stewart, do Canadá – Representante Especial para o Sahara Ocidental e Chefe da Missão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental (MINURSO)

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, anunciou hoje a nomeação de Colin Stewart, do Canadá, como seu Representante Especial para o Sahara Ocidental e Chefe da Missão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental (MINURSO).

O Sr. Stewart sucede a Kim Bolduc, do Canadá, que terminou a sua missão em 22 de novembro de 2017. O Secretário-Geral agradeceu à Sra. Bolduc pela sua forte liderança e perseverança ao longo do seu mandato.

Leer más …

IV Comissão das Nações Unidas: Sahara Ocidental, autodeterminação como única alternativa

Nova Iorque (EUA) (SPS)

A Argélia argumenta “não há outra alternativa do que a autodeterminação”

O embaixador permanente da Argélia nas Nações Unidas, Sabri Boukadoum, afirmou no seu discurso na Quarta Comissão que a descolonização do Sahara Ocidental é “uma questão urgente e crucial para a estabilidade da região”, e reiterou que “não há alternativa ao respeito pelo exercício do direito à autodeterminação”.

“Para a Argélia, a resolução do conflito do Sahara Ocidental é uma questão urgente e crucial para a estabilidade, progresso e integração do Magrebe”, disse Boukadoum, antes de afirmar que é “deplorável que em 2017 ainda existem 17 países não autonomos – pendentes de descolonização “.

O diplomata argelino disse que “o status do Sahara Ocidental é inequívoco”, uma vez que é uma questão de “descolonização registrada na ONU há mais de 50 anos”.

“Todas as resoluções da ONU sobre o Sahara Ocidental adotadas pela Assembléia Geral e pelo Conselho de Segurança afirmam a natureza jurídica inequívoca do conflito, bem como a aplicação do princípio da autodeterminação”, disse Boukadoum.

Leer más …

IV Comissão das Nações Unidas: Solicitações de descolonização do Sahara Ocidental

Nova Iorque (EUA), 10/08/2017 (SPS)
Moçambique pede “ações concretas para permitir que o povo saharaui exerça o seu direito à autodeterminação”
O embaixador plenipotenciário de Moçambique junto das Nações Unidas, Carlos Costa, pediu em seu discurso ao Comitê de Descolonização, a realização de “ações concretas para o povo do Sahara Ocidental para exercer o seu direito à autodeterminação”.

“Garantir a autodeterminação do povo do Sahara Ocidental, continua a ser o nobre objetivo da comunidade internacional, em especial das Nações Unidas e da União Africana”, disse o embaixador de Moçambique e afirmou que a “auto-determinação e liberdade” deve ser aplicada no caso do Sahara Ocidental.  Para Moçambique a “falta de progresso no processo de descolonização” do Sahara Ocidental é uma preocupante.

“Apelamos ao Conselho de Segurança, à Assembleia Geral e à comunidade internacional para implementar as suas próprias resoluções” e “apoiar os esforços da União Africana e do seu enviado especial, Joaquim Chissano, antigo Presidente de Moçambique”, disse Carlos Costa

Leer más …

4a Comissão da ONU chamada a visitar os territórios ocupados do Sahara Ocidental

Isabel Lourenço

Na sessão da quarta comissão para a descolonização das Nações Unidas que esta a decorrer entre 3 e 6 de Outubro, Isabel Lourenço, colaboradora do PUSL e membro da Fundación Sahara Occidental denunciou a situação vivida pelos presos politicos e chamou a atenção a responsabilidade da comunidade internacional que com o seu silêncio cúmplice e inacção é responsável pelo sofrimento do povo saharaui.

Após denunciar alguns dos crimes cometidos pelo Reino de Marrocos apelou à visita de uma missão da 4a Comissão aos territórios ocupados, como estipulado no mandato deste organismo.

Leer más …

A ocupação criminosa do Sahara Ocidental e o caso de Timor-Leste

Fonte: Jornal Tornado

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou no dia 28 de Abril de 2017 (mais) uma resolução sobre a ocupação ilegal do Sahara Ocidental, tendo prorrogado a Missão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental (MINURSO) pelo período de mais um ano e apelado à reactivação da negociação entre Marrocos e a «Frente Popular de Liberación de Sagui el Hamra y Rio de Oro», mais conhecida por Frente POLISÁRIO.

Por outro lado, na altura em que foi aprovada esta nova Resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas, Marrocos, com o apoio de França, apresentou uma proposta que preconiza a autonomia do Sahara Ocidental sob a soberania Marroquina.

O arrastar do referendo no Sahara Ocidental, invadido e anexado ilegalmente há mais de 40 anos é similar ao drama que se viveu em Timor-Leste porque são sistematicamente ignoradas as sucessivas resoluções das Nações Unidas mesmo sabendo-se que há uma forte repressão do regime marroquino contra a população saharui, comprovada por imagens que circulam por todo o mundo, registadas, em segredo, por telemóveis e vídeos de jornalistas não afectos ao reino de Marrocos.

Leer más …

Hans Corell: Conselho de Segurança da ONU deve agir com “autoridade” e “determinação” na questão do Sahara Ocidental

WASHINGTON, 24 de abril, 2017 (SPS)

O Sueco Hans Corell, ex-Subsecretário-Geral de Assuntos Jurídicos e Conselheiro Jurídico da Organização das Nações Unidas, levantou a necessidade urgente do Conselho de Segurança da ONU agir com “autoridade” e “determinação” para lidar com a questão do Sahara Ocidente de forma a garantir uma solução justa e equitativa e permitir a organização de um referendo sobre a autodeterminação no território ocupado por Marrocos desde 1975.

“É uma questão política que o Conselho deve simplesmente tratar. Ao mesmo tempo, qualquer solução deve estar em conformidade com o direito internacional. Neste processo, o Conselho deve considerar agora as opções mais radicais do que as aplicadas no passado, ” o Sr. Correll, sugeriu três opções, publicadas em Washington pela Academia Internacional do Judiciário, com a ajuda da Sociedade Americana de direito internacional.

“Uma opção é transformar a MINURSO (Missão das Nações Unidas para organizar um referendo sobre a autodeterminação no Sahara Ocidental) de uma maneira semelhante à da Administração Transitória das Nações Unidas em Timor Leste (UNTAET) operação, habilitada com responsabilidade geral pela administração de Timor Leste e poderes para exercer toda a autoridade legislativa e executiva, incluindo a administração da justiça.”

Leer más …

Polisário acusa Rabat de querer transformar a ONU na sua representação comercial

Fonte: EFE, 22 ABR 2017

A Frente Polisário acredita que Marrocos tenta converter a ONU na sua “Agência”, buscando legitimar a construção de uma estrada no extremo sul do Sahara para fácil conexão com o resto da África, o que a organização Saharaui considera ilegal .

Isto foi afirmado numa entrevista à Efe pelo representante do Polisario na ONU, Ahmed Boukhari, poucos dias antes do Conselho de Segurança fazer a sua revisão anual da situação na ex-colônia espanhola.

A decisão de Marrocos em agosto passado de começar a asfaltar uma estrada na área de Guerguerat perto da fronteira da Mauritânia, desencadeou uma das situações mais tensas da zona nos últimos anos.

Para a Frente Polisário, a movimentação marroquina dentro da “zona tampão” representou uma violação do acordo de cessar-fogo de 1991 e respondeu enviando as suas forças para o local, que estiveram cara a cara com os soldados marroquinos.

Em fevereiro, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou às duas partes, Marrocos aceitou o pedido para retirar, mas até ao momento os saharauis não recuaram.

Leer más …

Versão final do relatório do SG da ONU

Junto anexamos a versão final do relatório sobre o Sahara Ocidental de António Guterres, SG da ONU. A análise feita no nosso artigo anterior (ver aqui) mantém-se visto não ter havido alterações significativas ao texto anterior.

Informe Secretario General de la Onu Sobre Sahara Occidental (Abril 2017) by porunsaharalibre.org on Scribd

Leer más …

Relatório do SG da ONU sobre o Sahara Ocidental – falta de coragem e imparcialidade

O relatório do SG sobre a situação no Sahara Ocidental está subdivido em acontecimentos recentes, actividades políticas, actividades da MINURSO, actividades humanitárias e direitos humanos, união africana e aspectos financeiros terminando com observações e recomendações. Esta edição prévia do relatório do SG das NU, António Guterres, sobre a situação no Sahara Ocidental destina-se aos membros do Conselho de Segurança que irão decidir sobre a prolongação do Mandato da MINURSO em finais deste mês.

Na primeira parte do relatório referente aos acontecimentos recentes o SG foca-se na situação de Guergarat desresponsabilizando por completo a MINURSO e o Conselho de Segurança no conflito criado devido à inoperância atempada destes mecanismos das NU. Quando se refere a Gendermaria Nacional (GN) da RASD coloca a GN entre aspas, mas não o faz quando se refere à Gendermaria Real Marroquina, dando a impressão que a GN da Frente POLISARIO não é oficial. Continua referindo as “violações” de uma parte e outra pondo enfâse no facto que a POLISARIO não deixa passar veículos com mapas em que o Sahara Ocidental esteja representado como parte de Marrocos, louva o recuo de Marrocos mas apela ao recuo da POLISARIO. Foi lamentável o SG anterior e o CS não terem tido uma posição igualmente forte exigindo de imediato a retirada de Marrocos, o que teria evitado toda a “tensão” actual.

Curiosamente durante todo este ponto , em que enumera os acontecimentos cronologicamente não refere o atraso da MINURSO em atuar.

Leer más …

Uso de cookies

porunsaharalibre.org utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.plugin cookies

ACEPTAR
Aviso de cookies