Moção de Solidariedade aprovada na reunião dos movimentos da Paz Europeus do Conselho Mundial da Paz

12894393_1339801682702839_289789711_o

Fonte: Delegação da Frente Polisario em Portugal, Lisboa, 21 de Março

No passado dia 19 de Março, os movimentos da Paz Europeus do Conselho Mundial da Paz aprovaram uma moção de solidariedade com os presos políticos saharauis em greve de fome desde 1 de Março.

A reunião contou com a presença de Socorro Gomes presidente do Conselho Mundial da Paz e do Centro Brasileiro de Solidariedade com os Povos e Luta pela Paz

A presidente do CMP no seu discurso proferido na parte publica da reunião enfatizou uma vez mais a solidariedade incondicional com a justa luta do Povo Saharaui pela autodeterminação.

A reunião realizou-se em Almada, Portugal com o Conselho Português para a Paz e Cooperação como organizador.

No encontro participaram organizações Bélgica, Irlanda, República Checa, Turquia, Finlândia, Grécia, Alemanha, Chipre, Portugal e França.

O delegado da Frente Polisario em Portugal, Sr. Ahamed Fal, interveio alertando para a situação actual do conflito do Sahara Ocidental, nomeadamente a ameaça que constitui o posicionamento e recente actuação do Reino Marrocos e o seu desrespeito absoluto plas Nações Unidas e a sua Missão no Sahara Ocidental. Posição essa que coloca em risco todo o processo de paz negociado cujo oblectivo final é alcançar uma solução definitiva atravês da realização de um referendo de autodeterminaçao.

A presidente do Conselho do Portugês para a Paz e Cooperação, Dra. Ilda Figueiredo, afirmou que a única solução para a quatão saharaui é a retirada definitiva do Reino de Marrocos do Território permitindo ao povo saharaui expressar a sua vontade livremente e em paz. COMUNICADO

Solidariedade com presos saharauis em greve de fome

No dia 1 de março, 13 presos políticos saharauis iniciaram uma greve de fome, por tempo indeterminado, reivindicando o direito à sua liberdade e chamando a atenção da comunidade internacional para uma detenção que a Organização das Nações Unidas considera arbitrária (Relatório 2014 do Relator Especial para a detenção arbitrária).

As organizações da Paz da Região Europa do Conselho Mundial da Paz, reunidas no dia 19 de Março de 2016, em Almada – Portugal, manifestam o seu apoio e solidariedade aos presos saharauis de Gdeim Izik, em cativeiro há mais de cinco anos. A condenação destes homens pelo Tribunal das Forças Armadas reais marroquinas a penas que variam entre 20 anos e prisão perpétua, demonstra a opressão do Estado marroquino face à luta pacífica do povo saharaui pela sua independência. Tratou-se da condenação de civis por um tribunal militar. O julgamento foi considerado nulo devido a violações procedimentos e a falta de provas. De facto, os 40 observadores internacionais presentes, incluindo portugueses, foram unânimes em denunciar não só a ilegalidade do julgamento como as contínuas pressões e ameaças exercidas durante todo o processo pelas autoridades marroquinas sobre os próprios observadores e os seus tradutores. As detenções de Gdeim Izik remontam a finais de 2010, quando as forças de ocupação marroquinas desmantelaram de forma violenta o Acampamento da Dignidade, onde se concentravam dezenas de milhares de saharauis para reivindicar o respeito pelos seus direitos e liberdades fundamentais. Reafirmam a solidariedade com os presos políticos saharauis, exigindo a sua libertação incondicional, e com todo o povo Saharaui, pelo direito a autodeterminação e a saída imediata do Reino de Marrocos, incluindo as suas forças militares, policiais e auxiliares e colonos, dos territórios ocupados do Sahara Ocidental. Almada, 19 de Março de 2016

Acção Internacional pela Libertação – Bélgica

Aliança pela Paz e Neutralidade – Irlanda

Associação Cívica Soldados Contra a Guerra – República Checa

Associação de Paz da Turquia

Centro Brasileiro de Solidariedade com os Povos e Luta pela Paz

Comité de Paz da Finlândia Comité Grego para o Desanuviamento Internacional e a Paz

Conselho da Paz Alemão

Conselho de Paz do Chipre

Conselho Português para a Paz e Cooperação

Movimento pela Paz – França