Brahim Ghali felicitou o novo Secretário-Geral da ONU, mas Guterres não menciona o Sahara Ocidental no seu discurso

guterres-214 de outubro de 2016, porunsaharalibre.org

O Presidente da República Árabe Saharaui Democrática e Secretário-Geral da POLISARIO, Brahim Gali enviou, sexta-feira, uma mensagem de felicitações ao novo Secretário-Geral da ONU, o português António Guterres.

O Presidente saharaui felicitou Guterres pela sua eleição como chefe da organização internacional e deseja-lhe sucesso no seu novo trabalho: “Aproveito esta oportunidade, em nome do povo saharaui, e a Frente Popular para a Libertação de Saguia el-Hamra e Rio de Oro (F .POLISARIO) e em meu próprio nome para expressar os meus parabéns e os desejos sinceros de sucesso na sua nobre missão”.

A eleição de Guterres para Secretário Geral das Nações Unidas “é uma expressão da confiança dos países membros e suas qualidades humanas, a sua rica carreira política e a sua capacidade de dar um novo impulso à organização internacional para enfrentar os desafios que agitam o mundo e para assegurar o respeito aos ideais e princípios da Carta”.

Gali reiterou a disponibilidade da POLISARIO a cooperar com as Nações Unidas nos seus esforços “para realizar o processo de descolonização do território saharaui com base nas resoluções pertinentes da Assembleia Geral e o Conselho de Segurança pedindo a aplicação de respeito pelo direito inalienável do povo saharaui à autodeterminação”.

No entanto Guterres até ao momento não mencionou a última colónia de África com um dos conflitos mais antigos do mundo, que tanto tem dado que falar no Conselho de Segurança nos últimos 8 meses. Nem manifestou preocupação com a violação de cessar fogo e a expulsão dos funcionários da MINURSO por Marrocos.

Conhecedor do conflito e da situação devido à sua experiência como alto comissário da ACNUR espera-se que tenha alguma preocupação na busca de uma solução rápida para este conflito que vive um impasse causado por Marrocos desde 1991. No entanto foi no seu mandato enquanto Alto Comissário da ACNUR que foi reduzida a ajuda humanitária de 160 000 refugiados saharauis para apenas 90 000, situação que tem provocado grandes faltas nos campos de refugiados.

Segundo se pode ver no discurso proferido por Guterres as prioridades irão ser os conflitos da Síria, Sudão e Iémen assim como a luta contra o terrorismo.