Marrocos pretende aderir à União Africana para sair do seu isolamento internacional

This post is also available in: Español (Espanhol)

Addis Abeba (Etiópia), 28/01/17 (SPS)

O ministro dos Negócios Estrangeiros saharaui, Mohamed Salem Ould Salek afirmou que Marrocos quer aderir à União Africana (UA) para romper o isolamento em que se encontra no continente Africano e as Nações Unidas, por causa de sua política de ocupação.

“O pedido de Marrocos para aderir à União Africana mostra o caos no país que está isolado internacionalmente por causa da sua política de ocupação”, disse Ould Salek, sexta-feira, numa conferência de imprensa na sede da União UA em Adis Abeba, como parte das reuniões preparatórias da Cimeira de chefes de Estado e de Governo da UA, que terá lugar em 30 e 31 de Janeiro na capital etíope.

“A RASD não nega o direito de Marrocos aderir à União Africana como qualquer outro país em África, mas considera, no entanto, que esta admissão contradiz os princípios, visão e espírito da organização pan-Africana contidos no Acto Constitutivo da União “, insistiu.

O ministro de negócios estrangeiros saharaui disse que a ratificação pelo Parlamento de Marrocos, da Constituição, “coloca a obrigação de cumprir com este documento fundamental, que enfatiza o respeito pelas fronteiras herdadas do colonialismo.”