Intergrupo do Parlamento Europeu condena julgamento e exige libertação imediata do presos de Gdeim Izik

This post is also available in: Español (Espanhol)

Num comunicado o Intergrupo para o Sahara Ocidental do parlamento europeu no qual estão várias dezenas de deputados de todos os grupos politicos e países, emitiu um comunicado no qual condena o julgamento e exige a libertação de todos os presos do grupo de Gdeim Izik. Apela à todos os estados membros que actuem junto de Marrocos, exigindo a libertação destes activistas saharauis de direitos humanos.

Intergrupo Sahara Ocidental – Comunicado de imprensa

Bruxelas, 30 de Janeiro de 2017

O Intergrupo Sahara Ocidental apela à UE para condenar o julgamento em curso de 24 activistas saharauis que foram presos após o acampamento de protesto pacífico de Gdeim Izik em 2010. Os prisioneiros começaram ser julgados em um tribunal civil em Rabat. Os prisioneiros já haviam sido julgados num tribunal militar, descrito pela Amnistia Internacional como “uma espantosa aberração da justiça”. Eles estão presos continuamente desde 2010, muitas vezes em condições desumanas, com base em provas obtidas sob tortura.

O fato de que esses ativistas estiveram presos sem julgamento justo desde 2010 é uma flagrante violação dos seus direitos humanos básicos. Exortamos os Estados-Membros da UE a exigirem de Marrocos a libertação imediata destes defensores dos direitos humanos e condenem claramente o facto de Marrocos recorrer à tortura e aos tribunais militares para os civis. Os abusos sistémicos dos direitos humanos contra o povo saharaui sob a brutal ocupação de Marrocos não podem continuar a ser ignorados e ignorados pela UE e pela sua instituição, principalmente pelo PE, que afirma defender os direitos humanos e as liberdades.