A RASD adverte que participará como um país mais na cúpula da UA-UE de Abidjan

This post is also available in: Español (Espanhol) English (Inglês)

Argel, 11 oct (diariovasco.com).- O ministro dos Negócios Estrangeiros saharaui, Mohammad Ould Salek, declarou hoje que a República Árabe Saharaui  Democrática(RASD) participará como um país adicional na cúpula entre a União Africana e a União Europeia que se realiza em Abidjan nos dias 29 e 30 de novembro.

Numa conferência de imprensa em Argel, Ould Salek também atacou a França, acusando-a de vender armas e munições a Marrocos e dificultando os esforços do Conselho de Segurança para realizar um referendo sobre autodeterminação apoiado pela ONU .

“A RASD participará da próxima cimeira da UA-UE como os restantes Estados membros da UA, em pé de igualdade. Sem a RASD não haverá cúpula “, disse.

Ould Salek acusou Rabat de tentar evitar a presença saharaui  procurando na França um novo parceiro.

“Marrocos está a  dificultar os esforços dos enviados da ONU junto com a França, que está a pressionar a Costa do Marfim e exorta a UA a evadir a decisão de uma organização de respeito e direito de todos os Estados membros de participar na reunião”

“O estado francês armou as forças marroquinas e forneceu-lhes várias armas e munições. A França obstrui a organização de um referendo no Conselho de Segurança e impede que a Minurso monitore os direitos humanos no Sahara Ocidental “, disse o ministro.

O atual enviado da referida missão da ONU, criado em 1991 para monitorar o cumprimento do cessar-fogo acordado entre a Frente Polisario e Marrocos, uma força ocupante desde 1975, “enfrentará os mesmos obstáculos e o mesmo fracasso” que seus antecessores, acrescentou.

A canadense Kim Bolduc tem planeado viajar aos campos de refugiados no deserto ocidental da Argélia no próximo domingo, onde os saharauis vivem há mais de 40 anos desde que o exército marroquino ocupa as suas terras.