Esta entrada también está disponible en: Español (Espanhol)

“Duas advogadas francesas expulsas de Marrocos. Elas iam visitar os presos saharauis de Gdeim Izik, condenados em Julho 2017 a pesadas penas de prisão num processo manifestamente injusto” Pode – se ler hoje no Twitter da Amnestia Internacional.

Não só a AI condena a expulsão como classifica publicamente o processo de Gdeim Izik como injusto.

Também a EuroMed Rights organização mediterrânica de direitos humanos condena a expulsão.

O presidente da EuroMed Rights, Michel Tubiana, denuncia este novo ataque ao direito de defesa:

“A repressão da Dra. Metton e da Dra. Ouled é inaceitável, em flagrante contradição com o direito internacional e a convenção que liga as ordens de França e Marrocos.

Os advogados têm o direito de assistir os seus clientes ao longo do processo. Proibir as Dras. Metton e Ouled d entrar em Marrocos equivale a proibi-las de exercer a sua missão de defesa.

A EuroMed Rights apela às autoridades marroquinas a reverter esta decisão”