Jovens e menores saharauis detidos e torturados

This post is also available in: Español (Espanhol) English (Inglês)

Na noite de sábado para domingo após uma manifestação de jovens saharauis com dezenas de manifestantes na cidade de El Aaiun num protesto não violento contra a ocupação marroquina e o apartheid social, economico e politico vivido no territórios ocupados foram detidos dez estudantes.

As forças de ocupação investiram contra os manifestantes e detiveram os jovens.

Os menores foram sequestrados para local desconhecido e as autoridades não informaram nem as familias, nem foram autorizados a ter a presença de advogados após a sua detenção arbitrária.

De acordo com o relatório da Network Activists News, as autoridades soltaram na segunda-feira 26 de fevereiro, Mohammed al-Marwani, quando a sua condição de saúde se deteriorou devido à tortura.

Na terça-feira, dia 27 de Fevereiro, os estudantes saharauis foram apresentados ao tribunal em El Aaiun. Os arredores tribunal estavam fortemente vigiados e baixo cerco, ninguém podia entrar no tribunal. As famílias não tinham autorização para ver os seus filhos.

Apesar do cerco do tribunal e das ruas adjacentes, um grande número de estudantes e ativistas dos direitos humanos vieram visitar as famílias dos detidos perante o tribunal.

Um correspondente da Network News, descreveu a confusão das autoridades marroquinas depois que as famílias pediram para visitar seus filhos dentro do tribunal para ver o seu estado de saúde.

Uma fonte próxima das famílias confirmou que as autoridades de “segurança” impediram as famílias de visitar os detidos enquanto estavam sob custódia.

Mais de onze horas após o início da sessão no tribunal, as autoridades marroquinas libertaram Hama Zerouali, que foi ferido no olho esquerdo, e Daoudi Hassan al-Muzaddad, ambos denunciaram a tortura sofrida nos últimos dias durante o período de sua detenção arbitrária.

As autoridades marroquinas libertaram os detidos, que, segundo suas declarações, foram submetidos a tortura brutal.

A rede de ativistas de notícias relatou os seguintes ferimentos:

– Abdin Bounaj, ferimento grave ao nível dos ombros e lesões em diferentes partes do corpo.

– Omar al-Bahih Almzadad foi ferido no ombro e nas costas e submetido a tortura brutal e foi obrigado a assinar as actas elaborada pelos membros dos serviços de Inteligência.

– Karakar Mohammed Mezdad foi submetido a tortura no momento da prisão e interrogatório dentro da “surete national”.
Tem hematomas no rosto e dor ao nível do abdômen – vomitando sangue continuamente -.

– Othman al-Mousawi, que também sofria de uma grave condição de saúde como resultado da tortura a que foi submetido no início do domingo e da transferência para a “surete nacional”.

– Mohamed Mrizik, que foi ferido ao nível da cabeça e do joelho.

– Hassan al-Daoudi feridas em todo o corpo.