Uma bandeira do Sahara Ocidental na CAN de futebol provoca protestos de Marrocos

This post is also available in: Español (Espanhol) English (Inglês)

Por  Jesús Cabaleiro Larrán – Periodistas En Español .-O aparecimento da bandeira da República Árabe Saharaui Democrática (RASD) e o território saharaui separado do marroquino na venda de bilhetes da Confederação Africana das Nações (CAN) de futebol que decorrerá de 21 de Junho a 19 de Julho no Egipto, motivou protestos de Marrocos.

Em particular, a Federação Real Marroquina de Futebol (FRMF) contactou a organização CAN para retirar a bandeira saharaui do portal de bilheteira Tazkarti.com, que se encontra em três línguas, árabe, francês e inglês. Uma carta de protesto foi enviada, mas Marrocos foi informado de que a plataforma que gestiona esta página está no exterior.

A empresa que gere a plataforma do Get Group, está sediada em Dubai, com subsidiárias no Egito, Canadá, América Latina e Arábia Saudita.

Muitos marroquinos não sabem que nenhum país do mundo reconhece a soberania marroquina e a anexação do Sahara, que é considerado um território a ser descolonizado pela ONU. A RASD, além de ser reconhecida por muitos países africanos, faz parte da União Africana.

Como curiosidade, a única equipe que supostamente representou o Sahara marroquino, em francês, Jeunesse Sportivo El Massira Laayoune, Juventude La Marcha, El Aaiún, que foi fundada em 1977, mas não no território do Sahara, mas em Benslimane (uma região no centro de Marrocos), cujo presidente é um dos caciques marroquinos pró-Sahara marroquino, Hassan Derham, caiu da Segunda Divisão para a Terceira.

Temos de recordar, por outro lado, que há uma selecção do Sahara – chamada Dromedários – e uma Federação Saharaui de Futebol (FSF), representando a RASD.

Marrocos é enquadrado no grupo D qualificado como ‘grupo da morte’ que vai coincidir com a Costa do Marfim, a África do Sul e a Namíbia.

Os Leões do Atlas disputarão o primeiro jogo contra a Namíbia, no dia 23 de junho, no Estádio Al Salam, no Cairo, em 28 de junho, contra a Costa do Marfim, e em 1 de julho contra a África do Sul.