Sahara Ocidental: a brutalidade das forças marroquinas é um verdadeiro desafio para a ONU (Movimento Nigeriano)

This post is also available in: Español (Espanhol) English (Inglês)

ABUJA, Nigéria (fibladi.com) – O Movimento Nigeriano para a Solidariedade com o Sahara Ocidental condenou na quarta-feira os violentos ataques das forças de ocupação marroquinas contra civis saharauis na passada sexta-feira em El Aaiun, sublinhando que a União Africana deve demonstrar um maior empenho na independência do Sahara Ocidental. e contra a continuação do domínio colonial.

“O povo saharaui está sendo atacado pelas forças de ocupação marroquinas, incluindo a polícia uniformizada, a gendarmaria e as forças paramilitares”, disse o comunicado. Os nigerianos “condenam as brutalidades de todos os tipos, lançadas pelas forças marroquinas contra o povo saharaui”.

“Esta brutalidade marroquina, cometida na presença da Missão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental (MINURSO), deve ser uma fonte de profunda preocupação para todos os povos do mundo que amam os princípios da humanidade, liberdade e dignidade”. disse o movimento.

“A brutalidade demonstrada pelas forças marroquinas é um verdadeiro desafio para as Nações Unidas: defender os direitos universais de toda a humanidade à vida, dignidade e respeito, bem como o direito de todas as nações se governarem”, diz o comunicado de imprensa. Acrescenta ainda um desafio particular à União Africana (UA), uma vez que, como o Movimento enfatiza, a UA “tem a responsabilidade de levar a cabo a tarefa de realizar a descolonização da última colónia em África”.

Para este fim, insiste o Movimento “, a União Africana deve mostrar um maior compromisso com a independência do Sahara Ocidental, contra a continuação do regime colonial no Sahara Ocidental, contra o saque de seus recursos por Marrocos”.

“O direito do povo do Sahara Ocidental de possuir, controlar e usar os seus recursos naturais para seu próprio bem-estar é inalienável e a África deve obrigar Marrocos a respeitar a humanidade, os direitos humanos e a dignidade humana no Sahara Ocidental. Para todos os povos africanos e até que a África seja totalmente libertada, continuaremos escravos “, argumentou o Movimento Nigeriano.

A declaração apela à libertação imediata e incondicional de todas as vítimas saharauis da ocupação marroquina, apelando a “todos os povos do mundo para apoiarem o povo saharaui na sua justa luta pela independência”.

A jovem saharaui Sabah Othman Omeida foi morta pelas forças repressivas marroquinas na cidade ocupada de El-Aaiun e vários outros ficaram feridos, à margem da pacífica celebração da vitória de sexta-feira da selecção argelina na final da Taça das Nações Africanas (CAN) contra o Senegal (1-0), que teve lugar no Egito.

A rapariga, Sabah Othman, de 23 anos, sofreu um acidente deliberado da polícia marroquina que assaltou a multidão a toda a velocidade, de acordo com fontes dos meios de comunicação saharauis, salientando que a polícia marroquina também feriu outros dois jovens saharauis.