Argentina – CTA autónoma condena a escalada da repressão do regime marroquino sobre o povo saharaui

This post is also available in: Español (Espanhol) English (Inglês)

Secretaria de Relações Internacionais – CTA autônoma
Cidade Autônoma de Buenos Aires, 25 de julho de 2019

O CTA Autónomo condena a escalada da repressão do regime marroquino sobre o povo saharaui

O CTA Autónomo condena a repressão brutal das forças de segurança marroquinas à população civil que participou em marchas pacíficas para celebrar a vitória da Argélia na Taça das Nações Africanas 2019 nas ruas de várias cidades saharauis ocupadas. Neste contexto, os vários serviços de segurança marroquinos, compostos por policiais, forças de intervenção, forças auxiliares e elementos de segurança vestidos com uniformes civis, intervieram na noite de 19 a 20 de julho de 2019, imediatamente após o fim do jogo, com violência brutal contra os saharauis causando feridos e detiveram arbitrariamente dezenas de pessoas.

Como resultado desta repressão, Sabah Azman Hamida, uma rapariga de 23 anos, foi morta, atropelada por dois veículos 4×4 das forças de ocupação na Avenida Smara, na capital saharaui. A jovem saharaui sofreu ferimentos graves, causando a sua morte devido à falta de cuidados médicos e negligência dos serviços de saúde, que levaram várias horas antes a transferirem para o hospital. Este evento gerou uma ampla mobilização de protesto cidadão, à medida que as horas se passaram, e foi violentamente reprimido por centenas de policiais e agentes de segurança.

O CTA Autônomo ratifica o seu compromisso histórico com a causa saharaui, mais uma vez nos solidarizamos com o povo saharaui, repudiamos a repressão e as violações dos direitos humanos e exigimos o respeito pela autodeterminação do povo saharaui, assim como o fim da ocupação ilegal do Sahara Ocidental.

Ricardo Peidro
Secretário Geral Central dos Trabalhadores da Argentina (CTA Autônomo)