Comitê Australiano de Solidariedade enviou carta ao Conselho de Securança pedindo medidas urgentes para acabar com as atrocidades do regime marroquino

This post is also available in: Español (Espanhol) English (Inglês)

O Comité Australiano de Solidariedade com o povo saharaui apelou hoje à ONU para condenar a repressão marroquina contra civis saharauis que celebravam sexta-feira a vitória da Argélia na Taça das Nações Africanas (Can 2019), e pede uma investigação independente sobre as circunstâncias. do assassinato das forças de ocupação da jovem saharaui Sabah Othman Hmeida.

Na sua carta dirigida ao Presidente do Conselho de Segurança das Nações Unidas, o Comité instou o Conselho a pressionar Marrocos por um fim aos ataques e à repressão dos saharauis nos territórios ocupados do Sahara Ocidental.

Os cidadãos saharauis que celebravam pacificamente a vitória da equipa argelina na Taça das Nações Africanas foram atacados por forças repressivas marroquinas que usaram armas como gás lacrimogéneo e balas de borracha, causando muitas baixas e provocaram a morte do jovem Sabah.

O Comitê recordou que na sua carta em abril passado, juntamente com outras organizações, convidou o Conselho de Segurança a estender o mandato da Missão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental (MINURSO) a incluir o monitoramento e relatórios sobre os direitos humanos.

O Comité concluiu a sua carta afirmando que as violações dos direitos humanos só iriam parar com a resolução do conflito do Sahara Ocidental que se prolonga há décadas e que se permita ao povo saharaui exercer o seu direito à autodeterminação. No entanto, salienta o Comité, devem agora ser tomadas medidas urgentes para pôr termo às atrocidades e à repressão em curso do regime marroquino.