Maurícias retira-se da Copa das Nações Africanas de Futsal em El Aaiun

This post is also available in: Español (Espanhol) English (Inglês)

PUSL.- A equipe das Maurícias seguiu a África do Sul e retirou-se da Copa das Nações Africanas de Futsal, que está a ter lugar em El Aaiun, capital do Sahara Ocidental ocupado.

A equipe foi ordenada a ir para casa pelo primeiro ministro do país, Pravind Jugnauth.

Na declaração oficial da CAF, podemos ler: “Gostaríamos de informar que a Associação de Futebol das Maurícias anunciou a sua retirada da Copa das Nações Africanas de Futsal Total, Marrocos 2020 antes do início da competição.
Portanto, os jogos Ilhas Maurícias x Libia e Ilhas Mauricias x Marrocos são cancelados e não terão lugar. ”

As Maurícias entraram apenas nas finais continentais depois que a África do Sul boicotou o evento em protesto do torneio ser sediado no Sahara Ocidental, um território sobre o qual Marrocos não tem soberania e ocupa desde 1975.

Tanto a África do Sul quanto as Ilhas Maurícias afirmaram que, se os marroquinos decidissem sediar a Copa das Nações Africanas de Futsal em qualquer cidade do Reino, teriam honrado o convite, mas não nos territórios ocupados.

A escolha deste local foi um desafio de Marrocos para que se reconheça a autoridade do país no território e legitimar a reivindicação deles.

O presidente da CAF, Ahmad, e o chefe africano da FIFA, Fatma Samoura, permitiram que Marrocos escolhesse o território disputado para sediar o torneio, quando estava claro que isso criaria tensões políticas e provocou vários protestos de organizações em todo o mundo.

O marroquino Fouzi Lekjaa é o segundo vice-presidente da CAF e diz-se ter influenciado Ahmad a aceitar o local.

withdrawal mauritius communique-signed