Vários defensores saharauis dos direitos humanos atacados ontem em El Aaiun ocupado

Jornal La Realidad Saharaui / DLRS, terça-feira 04/02/2020

Vários defensores saharauis de direitos humanos foram atacados ontem em El Aaiun ocupado

O Prêmio Rafto de Direitos Humanos, Mohamed Daddach, foi atacado assim com o ativista Abdelaziz Biay

* Fonte: Ativistas saharauis dos direitos humanos

Os protestos pacíficos realizados pelos saharauis ontem, segunda-feira, 3 de fevereiro, na cidade ocupada de El Aaiun, resultaram em vários feridos, incluindo o Prêmio Rafto de direitos humanos Mohamed Daddach. O protesto foi convocado pelo coordenador dos movimentos civis saharauis da Intifada para condenar a celebração da Taça de África da Futsal CAF, que Marrocos organizou nesta cidade saharaui sob ocupação militar. O ativista Abdelaziz Biay disse que vários agentes civis e uniformizados atacaram um grupo de ativistas saharauis e ex-presos políticos quando saíram às ruas com bandeiras saharauis para se manifestarem contra a Taça Futsal que Marrocos está a organizar na cidade. O ativista, que acompanhou Daddach, denunciou que o Prêmio Rafto foi levado por vários agentes para um beco onde ele não podia ser filmado e lá eles executaram a sua agressão, com espancamentos, insultos e vexações.

Os ativistas estavam a distribuir dezenas de folhetos para denunciar a celebração da Copa. O ativista Abdelaziz, ferido na cabeça, disse ao DLRS que os protestos contra a Copa continuarão até o próximo dia 7 de fevereiro, data em que o evento terminará a “sua aventura” no Sahara.

Nem todos os países africanos participam neste evento desportivo, um dos pesos pesados ​​do continente, a África do Sul, boicotou-o desde o início por incluir territórios saharauis ocupados, bem como Argélia e Maurício, enquanto outros países relacionados ao regime marroquino ainda estão numa cidade cujas ruas são repletas por dispositivos policiais e a população saharaui protestando nas ruas e em frente aos locais onde estão localizadas as equipes que jogam na CAF.