Activista saharaui dos direitos humanos, Sultana Khaya, atacada pelas forças de ocupação marroquinas

This post is also available in: Español (Espanhol) English (Inglês)

PUSL.- A casa da ativista saharaui dos direitos humanos Sultana Khaya foi atacada pelas forças de ocupação marroquinas. O ataque foi liderado pelo brigadeiro-general Mohamed Al-Madfai, vice-chefe da zona de segurança na cidade ocupada de Boujdour.

Sultana Khaya e a sua irmã foram vítimas de abuso físico e verbal. Segundo as nossas fontes, os agentes da polícia não apenas atormentaram, intimidaram e insultaram verbalmente a ativista saharaui, mas também cuspiram nela e na irmã e espancaram-nas.

Após o ataque, a casa foi mantida sob vigilância e cerco por veículos das autoridades de ocupação marroquinas.

O ataque foi brutal e não levou em consideração as medidas de segurança da pandemia publicitadas pelas autoridades marroquinas.

Mais uma vez, a intimidação e violações dos direitos mais básicos do povo saharaui foram evidentes neste ataque.

Nenhum mandado de busca foi mostrado e o ataque noturno à casa de Sultana Khaya até segundo a lei marroquina é ilegal nos termos e horário efectado.