Carta de agradecimento da expressa política saharaui Mahfouda Elfakir

This post is also available in: Español (Espanhol) English (Inglês)

PUSL.- Mahfouda Elfakir que foi libertada no pasado 15 de maio após 6 meses e 17 dias envia uma carta de agradecimento pelos pedidos de libertação durante o seu encarceramento na prisão negra de El Aaiun.

Sentenciada a 6 meses de prisão em 12 de dezembro de 2019, sentença que foi reafirmado no julgamento de recurso a 28 de outubro de 2019, esteve detida 17 dias a mais na prisão além dos 6 meses.

A jovem mãe, membro da associação “Coordenadora de Gdeim Izik” e da associação marroquina de direitos humanos, foi presa no tribunal de El Aaiún com o pretexto de “agredir um funcionário” no final do processo, de Mansour Elmoussaoui, o qual foi condenado a 1 mês de prisão. Mansour foi julgado a 28 de outubro de 2019 e acusado de participar nas comemorações da vitória da equipa argelina na Copa da África.

Mahfouda foi levada sábado, 16 de novembro, perante o procurador do reino sem a presença do seu advogado, e detida na prisão negra de El Aaiun. A família, foi impedida de lhe dar os medicamentos que tomam diariamente, sabendo que Mahfouda estaria detida e esperando uma cirurgia durante vários meses.

A saúde de Mahfouda deteriorou-se rapidamente e as autoridades penitenciárias foram obrigadas a chamar uma ambulância. O pessoal sanitário da ambulância injectou Mahfouda com uma substância sem averiguarem a sua condição médica pre-existente.

 

El Aaiún ocupada, 22 de maio de 2020
Da ex-prisioneira política saharaui Mahfouda Bamba Chrif Lefkir
A todos os amigos solidários que apelaram à minha libertação
Assunto: Agradecimento

Antes de mais, gostaria de vos enviar uma saudação revolucionária emanada dos princípios da histórica Revolução Saharaui de 20 de maio.
Queridos irmãos e irmãs,

É com muita honra que escrevo estas humildes palavras, logo após a minha libertação, a todos os homens e mulheres que estiveram solidários durante a minha injusta detenção, bem como a todas as pessoas livres que amam a justiça e a paz em outros países, assim como aos filhos da nossa cidade dos mais diversos lugares (zonas ocupadas, campos de dignidade e outros lugares do mundo).

Sinto-me tão incapaz de expressar minha profunda gratidão e a gratidão ao Estado saharaui e a todas as pessoas solidárias pelo apoio psicológico e moral que me deram, bem como à minha família durante o período de minha detenção na prisão negra de El Aaiún.

Durante todo esse período, fiquei bastante informado sobre as campanhas e movimentos de solidariedade com minha situação dolorosa detenção, que me motivaram muito a continuar a minha resistência e foram um grande incentivo para suportar a tortura e os maus-tratos dos carrascos marroquinos. Tudo isso foi para quebrar a minha vontade e a minha crença nos princípios da Frente Polisario, princípios inspirados no sofrimento e na luta do povo saharaui e com os quais, nascemos, crescemos e morreremos.

Irmãos e irmãs,

Todos os vossos movimentos de solidariedade, incluindo protestos de rua, campanhas nos meios de comunicação, orações por mim, telefonemas e visitas à minha família e filhos pequenas, foram inestimáveis, alimentando a minha resistência aos planos do inimigo. Graças a Deus e a vocês, voltei à minha família, à minha cidade e ao campo de batalha mais forte do que nunca, respirando o ar da liberdade, que ainda é deficiente enquanto os meus companheiros ainda estão presos nas prisões da ocupação Marroquina e enquanto o meu povo saharaui não exerceu o seu legítimo direito à autodeterminação e independência.

Hoje, estamos convencidos de que é necessário assumir a responsabilidade e continuar o caminho, pressionando a ocupação marroquina para que todos os presos políticos saharauis sejam libertados sem condições e que o nosso direito à autodeterminação seja respeitado. Tudo isso, para alcançar o nosso objetivo comum; uma República Árabe Saharaui Democrática independente em todo o seu território nacional.

Da mesma forma, gostaria de expressar a minha sincera gratidão ao Estado saharaui e às suas instituições exigem a libertação incondicional e pelos enormes esforços feitos e pelo amplo apoio dado aos presos políticos saharauis que fazem sacrifícios, tortura que sofrem e más condições na prisão e às suas famílias, recorrendo a todos os meios disponíveis, sacrifícios, sofrem tortura e más condições na prisão, de racismo e maus-tratos, exigindo de cada vez a sua libertação incondicional.

Um grande “obrigado” a todos aqueles que expressaram a sua grande alegria pela minha libertação da prisão, através das suas publicações, mensagens e telefonemas, e àqueles que me visitaram na casa de meu pai “Bamba Chrif Lefkir”, a apesar do brutal cerco policial e dos possíveis riscos devido à atual situação crítica do COVID-19.

Estou extremamente grata a todas as forças democráticas e progressistas do mundo, que têm lutado honrosamente em apoio aos oprimidos e em conformidade com os princípios nos quais eles constantemente acreditam e apoiam todos os povos oprimidos para obter e preservar as suas liberdades. O povo saharaui, ue nunca esquecerá todas as pessoas honestas com princípios que me acompanharam neste difícil teste.

Os valores humanos nos quais as forças democráticas acreditam são a luz que guia o nosso povo na sua longa jornada para romper as amarras da ocupação marroquina e todas as potências internacionais que a apoiam. O nosso povo permanecerá fiel aos valores que igualam os seres humanos e garantem os seus direitos, o nosso encontro certamente será próximo e trocaremos muitas e variadas experiências humanas.

Irmãos e irmãs,

Gostaria de concluir a minha mensagem dizendo que o estado de ocupação marroquino está a tentar interromper a luta pioneira de nosso povo que está a construir as suas instituições: a Frente Popular de Libertação de Saguia el Hamra e o Rio de Oro, por mais que o ocupante tente enganar o mundo com as suas mentiras e falsidades através dos seus meios de propaganda a favor da ocupação, que nada mais é do que seu fracasso diante da resistência heróica de nosso povo e que a voz livre de nosso povo nunca pode ser silenciada.

Temos sólida confiança nas nossas capacidades e a legitimidade da nossa liderança política, o escudo da nação e a escolha estratégica, o heróico Exército Popular de Libertação Saharaui que nos conduzirá à nossa liberdade e independência.

A vossa irmã e amiga Mahfouda Bamba Chrif Lefkir cumprimentos a todos e desejos de uma vitória certa que nos levará à independência