Esta entrada también está disponible en: Español (Espanhol) English (Inglês) Français (Francês)

República Árabe Saharaui Democrática
Ministério da Informação
Porta-voz do governo

Bir Lehlou (29 de setembro de 2020)

A Agência Marroquina de Notícias, MAP, notória por divulgar notícias falsas, atribuiu recentemente ao Secretário-Geral da ONU, António Guterres, uma declaração de imprensa supostamente feita através do seu vice-porta-voz, na qual a agência marroquina alegou falsamente que o Secretário-general fez um apelo à Frente POLISARIO em relação à brecha ilegal feita pelo exército de ocupação marroquino através do muro da vergonha em Guerguerat, no Sahara Ocidental.

O Ministério da Informação da RASD afirma que, com base nos esclarecimentos oficiais recebidos pela Frente POLISARIO das Nações Unidas, o Gabinete do Porta-voz do Secretário-Geral da ONU não emitiu qualquer declaração oficial em nome do Secretário-Geral sobre este assunto ao contrário do que foi noticiado pela Agência Marroquina de Notícias.

O Ministério da Informação da RASD denuncia veementemente esta nova tentativa dos meios de comunicação do Estado de ocupação marroquino de difundir falsidades sobre a Frente POLISARIO e a legítima luta nacional do povo saharaui, que chega a atribuir falsas declarações ao Secretário-Geral da ONU e espalhar alegações e acusações infundadas.

Os esclarecimentos oficiais das Nações Unidas desferem outro golpe ao regime de ocupação marroquino, à medida que os seus meios de comunicação intensificam a sua campanha de propaganda usando todos os métodos enganosos, incluindo desinformação, distorção de factos e falsificação.

A frenética campanha mediática orquestrada pelos meios de comunicação do Estado de ocupação marroquino decorre num momento em que se espera que o Conselho de Segurança aprecie o relatório do Secretário-Geral da ONU sobre a situação do Sahara Ocidental e adopte uma resolução sobre a renovação da Missão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental (MINURSO) no próximo mês.

A este respeito, recorde-se que a Frente POLISARIO sempre expressou o seu forte repúdio à existência da brecha ilegal marroquina do muro da vergonha em Guerguerat, no Sahara Ocidental, que representa uma violação persistente do cessar-fogo, os termos do acordo militar nº 1 e o espírito do plano de resolução. A Frente POLISARIO apelou repetidamente ao Conselho de Segurança para obrigar urgentemente o Estado de ocupação marroquino a encerrar imediatamente esta brecha ilegal, que continua a ser uma fonte constante de tensão que pode levar a mais instabilidade em toda a região.

A campanha de desinformação marroquina, baseada em provocar confusão e tensão em torno da brecha ilegal marroquina em Guerguerat no Sahara Ocidental, nada mais é do que um exercício de propaganda planeado deliberadamente para desviar a atenção do Conselho de Segurança das questões reais que estão por trás do atual impasse no processo de paz provocado pelo próprio Marrocos ao declarar a sua recusa em avançar com a implementação do Plano de Resolução da ONU-OUA em 2001.

O Conselho de Segurança é, portanto, chamado a garantir que as táticas diversionistas marroquinas não o distraiam das questões reais que devem ser tratadas com vista a assumir a sua responsabilidade e tomar medidas concretas e sérias para a implementação plena e rigorosa do plano de resolução da ONU-OU , permitindo ao povo saharaui exercer o seu direito inalienável à autodeterminação e à independência, levando assim a bom porto a descolonização da última colónia de África.