O preso político saharaui Houcein Zawi em jejum de protesto

PUSL.- Nos dias 14 e 15 de outubro, o preso político saharaui Houcein Zawi, do grupo de presos conhecido por Gdeim Izik, fez um protesto de 48 horas contra as represálias de que é vítima. O crescente assédio e maus-tratos de Zawi por parte das autoridades marroquinas durante a sua estada na prisão de TanTan piorou o seu estado de saúde, que já é deplorável. O tratamento racista e discriminatório a que o Sr. Zawi foi submetido em TanTan incluía o recebimento de alimentos não comestíveis, a retenção dos seus pertences pelas autoridades e o assédio constante.

No retorno à prisão de Kenitra, o Sr. Zawi esteve algemado durante toda a viagem de 911 km.

Lembramos que o Sr. Guterres, Secretário-Geral das Nações Unidas, alertou em seu recente relatório ao Conselho de Segurança da ONU que o OHCHR recebeu vários relatórios sobre tortura, maus-tratos e negligência médica em prisões marroquinas, de presos como o grupo Gdeim Izik.