Esta entrada también está disponible en: Español (Espanhol) English (Inglês) Français (Francês) العربية (Árabe)

REPÚBLICA ÁRABE DEMOCRÁTICA SAHARAUI MINISTÉRIO DA INFORMAÇÃO

PORTAVOZ OFICIAL DO GOVERNO

COMUNICADO

Depois de ter concentrado as suas tropas militares ao longo do Muro da Vergonha, na área em torno da brecha ilegal de El Guergarat, em clara violação das cláusulas do Acordo Militar nº 1; As forças de ocupação marroquinas lançaram, desde a noite passada, uma operação de transferência em grande escala de tropas do exército, da Gendarmaria e de outros corpos de segurança para a área. Informação fiável, proveniente de fontes presentes no local, indica que as forças de ocupação marroquinas procederam à camuflagem destes grupos, vestindo-os com roupas civis, sob o olhar da própria MINURSO, para transporem a “zona de separação” e atacar os civis saharauis que estão presentes há mais de duas semanas em protesto pacífico contra a brecha ilegal de El Guergarat.

O Governo saharaui mais uma vez sublinha que a irrupção de qualquer elemento marroquino, militar, de segurança ou civil, nesta zona libertada da República Saharaui, conhecida como “zona de separação”, será considerada uma agressão flagrante a que a parte saharaui responderá com firmeza, na legítima defesa da sua soberania nacional. Significará também o fim do ALTO FOGO e abrirá as portas para a eclosão de uma nova guerra total na região.

O Governo saharaui responsabiliza a ONU, e especialmente o Conselho de Segurança, pela salvaguarda da integridade física dos civis saharauis presentes e que enfrentam o perigo de uma agressão militar iminente perpetrada por soldados marroquinos disfarçados de civis. , que constitui uma ameaça real que pode ser desencadeada num massacre atroz de cidadãos saharauis que têm todo o direito de se manifestar a favor dos direitos inalienáveis ​​do seu povo à autodeterminação e independência.

Bir-Lehlu 09.11.2020