Esta entrada también está disponible en: Español (Espanhol) English (Inglês)

São Paulo, 18 de novembro de 2020.

A Central Única dos Trabalhadores – CUT, condena a violação do cessar-fogo perpetrada pelo governo do Marrocos contra o povo saharaui. Tal agressão militar patrocinada por Marrocos contra civis saharauis constitui grave violação do acordo de cessar-fogo assinado em 1991 entre a Frente Polisário e o governo do Marrocos, além de forçar ações de auto defesa por parte do Exército de Libertação do Povo Saharaui.

Nos preocupa fortemente a incapacidade da Missão das Nações Unidas presente na região com a missão (MINURSO) com objetivo de garantir o cumprimento dos Acordos de Paz na área e a realização do referendo popular sobre a Autodeterminação do território do Saara Ocidental.

Diante dos últimos acontecimentos a CUT Brasil reivindica a cessação imediata das operações militares e abandono da zona pelas forças de ocupação militar marroquinas, em cumprimento dos acordos de cessar-fogo assinados em 1991.

Esperamos também que as Nações Unidas, impeçam a escalada do conflito no Saara Ocidental, garantindo o cumprimento dos Acordos de Paz e a realização do referendo de autodeterminação para o Povo saharaui.

Por fim nos solidarizamos com a União Geral dos Trabalhadores Saharauis a UGTsário diante das agressões e seguimos unidos na luta pela autodeterminação do território do Saara Ocidental.

Antonio Lisboa – Secretário de Relações Internacionais