Esta entrada también está disponible en: Español (Espanhol) English (Inglês)

PUSL.- Ontem, sexta-feira 20 de Novembro, Mahfouda Lefkir denunciou a negligência médica intencional de que é vitima o conhecido activista Bomba Lafkir.

Mahfouda Lefkir, ex-presa politica, divulgou um vídeo onde denuncia que há mais de uma semana que o seu pai esta noo. Hospital numa maca sem que tinha qualquer tipo de assistência médica.

Bomba Lefkir, idoso, que sofre de diabetes deu uma queda grave em casa e foi para o hospital Ben Mehdi de El Aaiun, uma semana atrás. Como não lhe fizeram qualquer tipo de tratamento, a família tentou admiti-lo no hospital militar de El Aaiun mas não foi aceite, regressando ao hospital Ben Mehdi não o quiseram readmitir.

A filha do activista diz no vídeo que o pai não recebe qualquer tratamento pela única razão de ser um activista saharaui, que forma pacifica reivindica o direiro do seu povo à autodeterminação e o fim da ocupação.

“Labadil, labadil Antakrir el Massir” grita Mahfoud no meio do Hospital, o que significa ” não há outra solução que a autodeterminação.”

Este mais um caso entre tantos outros em que os Saharauis são vitimas de discriminação e lhes negada assistência médica básica.

A Cruz Vermelha Internacional continua a não cumprir o seu papel em relação aos Saharauis e agora com o reinicio da guerra tem ainda mais o dever de proteger a população civil saharaui nos territórios ocupados ou no mínimo visitar os territórios ocupados, assim como os presos políticos saharauis.