Esta entrada también está disponible en: Español (Espanhol) English (Inglês)

PUSL.- Numa conferência de imprensa no sábado passado, Sabri Boukadoum, ministro das Relações Exteriores da Argélia, reafirmou que “Não é apenas o dossier do Sahara Ocidental que o presidente está a acompanhar,”

Durante a conferência de imprensa, os jornalistas questionaram Boukadoum sobre a ameaça externa proveniente das fronteiras ocidentais do país referindo-se a Marrocos, o ministro respondeu:

“Não tenham medo. A Argélia tem um exército e uma administração fortes. É um estado com uma grande história de combate ao colonialismo.” E acrescentou “A Argélia entrará em acção reforçada para enfrentar todos os desafios que enfrenta hoje.”

De acordo com Boukadoum, a Argélia está a monitorar a situação regional, em particular “as eleições presidenciais no Níger, bem como a situação no Sahara Ocidental, na Mauritânia e no Mediterrâneo”.

Um comunicado de imprensa do Ministério da Defesa informou que um dia após o seu regresso ao país, o presidente Abdelmadjid Tebboune recebeu a 30 de dezembro um relatório do chefe do exército argelino, general Said Chengriha, sobre “a situação interna e os últimos desenvolvimentos em países vizinhos e nas fronteiras.