Presos políticos de Gdeim Izik em Tiflet2 visitados por autoridades marroquinas

 

PUSL.- Abdallah Abbahah e Mohamed Lamin Haddi, ambos presos do Grupo Gdeim Izik, foram visitados esta semana pelas autoridades marroquinas.

Mohamed Lamin Haddi, que iniciou uma fome aberta no passado dia 13 de janeiro, foi ontem visitado por um representante da DGAPR (Delegação Geral Marroquina Administração das Penitenciárias e da Reinserção). O Sr. Haddi, que exige a sua transferência para outra prisão devido aos extremos maus tratos, negligência médica intencional, falta de direitos básicos e o confinamento solitário prolongado a que é submetido por mais de três anos, foi solicitado a interromper a sua greve de fome. Lembramos que Mohamed Lamin Haddi fez várias greves de fome exigindo a sua transferência e sempre foi prometido que suas revindicações seriam atendidas, o que nunca aconteceu. Devido a isso, Haddi recusou a interromper a greve de fome até que ele estivesse noutra prisão e mais perto da sua família. Num depoimento, a sua mãe lembrou a sua inocência e a necessidade das organizações internacionais reagirem ao que ela qualifica como represálias.

As prisões de Ait Melloul e Tantan não são uma opção, uma vez que os presos do grupo são igualmente maltratados e em confinamento solitário prolongado. Houcein Zawi ficou vários meses na prisão de Tantan em péssimas condições antes de ser transferido de volta para Kenitra. Como é o caso em Tiflet2, os presos em Ait Melloul continuam em confinamento solitário prolongado e sem cuidados médicos, o que foi de novo denunciado pela esposa de Bani no seu depoimento em solidariedade com a família de Haddi.

Durante vários meses, Abdallah Abbahah também em Tiflet2 e em confinamento solitário prolongado renunciou ir ao pátio os poucos minutos por dia que lhe eram permitidos, devido ao assédio extremo dos guardas. Não lhe foi permitido sequer secar a roupa no exterior tendo que usar roupas húmidas o que demonstra a crueldade dos guardas. Esta semana, o Diretor da Penitenciária e outro funcionário, bem como o coordenador geral, foram até a cela do Sr. Abbahah depois que ela foi revistada e disseram-lhe para sair e que os guardas não o iriam assediar mais. Não obstante, Abbahah permanece em regime de confinamento solitário prolongado.

O terceiro preso político do grupo Gdeim Izik detido em Tiflet2, o Sr. El Bachir Khadda também está em confinamento solitário prolongado por mais de três anos. O seu irmão, devido ao seu completo isolamento, tentou visitá-lo hoje, mas não teve autorização para vê-lo.