Pergunta escrita à Comissão Europeia de Sandra Pereira no parlamento europeu

Ataques a activistas saharauis por parte de forças marroquinas

PUSL 17 Fevereiro 2021.- Tem sido denunciado que o cerco, o assédio, o rapto, a agressão física e sexual, são práticas recorrentes que as forças de ocupação marroquinas utilizam contra homens, mulheres e crianças saharauis, como forma de intimidação e submissão no Sahara Ocidental ocupado.

No passado dia 28 de novembro, em El-Aaiun, um ataque à casa do activista saharaui Ali Salem Tamek feriu vários ocupantes; anteriormente, a 19 de novembro, em Bojador, a activista Sultana Khaya e a sua família foram espancadas à entrada de sua casa.

De acordo com organizações no terreno, estas situações são recorrentes.

Pergunto:
Tem conhecimento destas situações que configuram violações de direitos humanos?

Que diligências tem feito junto da Frente Polisario para se inteirar das condições humanitárias nos territórios saharauís ocupados?