O eurodeputado Pernando Barrena pede a Borrell que esclareça as medidas tomadas pela UE face à repressão marroquina no Sahara Ocidental

Bruxelas, 17 de maio de 2021 (SPS) – O eurodeputado Pernando Barrena Arza dirigiu uma série de perguntas ao Alto Representante da União para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, Josep Borrell, para explicar a posição da União Europeia sobre a atual escalada da repressão marroquina e violação dos direitos humanos nas áreas ocupadas do Sahara Ocidental.

Na carta dirigida ao Alto Representante, Pernando Barrena recorda que “desde o fim do cessar-fogo de Marrocos com o ataque a civis saharauis, o reino alawita tem vindo a aumentar a pressão contra a população saharaui, passando a perseguir permanentemente os activistas que denunciam a ocupação ”.

O integrante do grupo The Left denuncia o caso de Sultana Khaya, sua irmã e a sua mãe, que sofrem com o cerco permanente de sua casa e não podem receber visitas. Também denunciou que as forças de segurança marroquinas invadiram asua casa destruindo-a e que estupraram Sultana e a sua irmã com cassetetes.

Denuncia também o caso de Mina Baali, ativista do ISACOM, que está em prisão domiciliar desde 7 de maio, que também denunciou ter sido brutalmente espancada pela polícia militar marroquina.

Dada a situação preocupante e a ofensiva marroquina contra a população civil, o também membro do Intergrupo de Apoio ao Povo Saharaui no Parlamento Europeu pede a Josep Borrell que esclareça se a União Europeia contactou o regime marroquino “devido à deterioração da vida e direitoso humanos no Sahara Ocidental, e especificamente sobre as agressões sexuais contra ativistas saharauis ”.

Pernando Barrena Arza pediu também ao Alto Representante da União para os Negócios Estrangeiros e Política de Segurança que discutisse se “a situação actual afecta a necessidade de a Missão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental – MINURSO- monitorizar a protecção dos Direitos Humanos no Sahara Ocidental ”.

Por último, o eurodeputado pede ao Alto Representante que responda se a actual escalada “por parte do ocupante marroquino do Sahara Ocidental é base suficiente para activar a cláusula de protecção dos direitos humanos no acordo comercial entre a UE e Marrocos”.