Esta entrada también está disponible en: Español (Espanhol) English (Inglês)

sapo.pt.- O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, assegurou hoje ao seu homólogo da República Árabe Sarauí Democrática (RASD), Brahim Ghal, o compromisso em manter “o bom relacionamento” entre os dois países e povos.

Nyusi falava durante um encontro com Ghal, que se deslocou a Moçambique para participar nas celebrações, no dia 25, dos 47 anos da independência nacional e dos 60 da fundação da Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), partido no poder.

Falando em nome do chefe de Estado, a ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique, Verónica Macamo, declarou que os dois países avaliaram positivamente os vínculos históricos que mantêm.

A ministra referiu-se ao papel vital que Moçambique poderá desempenhar nos assuntos regionais no apoio à paz e segurança internacionais, especialmente na defesa do direito legítimo do povo saharaui à liberdade e à autodeterminação, uma vez que Moçambique vai ocupar um lugar no Conselho de Segurança em janeiro de 2023.

Por seu turno, o presidente da RASD manifestou solidariedade com Moçambique na luta contra o “terrorismo” na província de Cabo Delgado, norte do país.

O Estado moçambicano apoiou desde a independência, em 1975, a causa do povo sarauí na reivindicação da integridade territorial sobre o Saara Ocidental ocupado por Marrocos, após ter sido colonizado por Espanha.