O ex-presidente alemão Horst Köhler deixa o seu cargo no Sahara Ocidental na ONU

Horst KoehlerPUSL / Jornal Tornado .- Horst Köhler, que foi presidente da Alemanha por seis anos, deixou o seu cargo como enviado da ONU para o território do Sahara Ocidental. A sua saída por motivos de saúde deixa o conflito para resolver, uma disputa de décadas no limbo.

O ex-presidente alemão anunciou que deixaria o cargo na quarta-feira, dois anos depois de assumir o papel de enviado pessoal do Secretário Geral da ONU para o Sahara Ocidental.

Koehler de 76 anos informou o secretário-geral da ONU, António Guterres, num telefonema, pode-se ler no comunicado da ONU.

O ex-presidente, Köhler encabeçou os esforços da ONU para acabar com o impasse de longa data entre Marrocos e a Frente Polisário. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Uma bandeira do Sahara Ocidental na CAN de futebol provoca protestos de Marrocos

Por  Jesús Cabaleiro Larrán – Periodistas En Español .-O aparecimento da bandeira da República Árabe Saharaui Democrática (RASD) e o território saharaui separado do marroquino na venda de bilhetes da Confederação Africana das Nações (CAN) de futebol que decorrerá de 21 de Junho a 19 de Julho no Egipto, motivou protestos de Marrocos.

Em particular, a Federação Real Marroquina de Futebol (FRMF) contactou a organização CAN para retirar a bandeira saharaui do portal de bilheteira Tazkarti.com, que se encontra em três línguas, árabe, francês e inglês. Uma carta de protesto foi enviada, mas Marrocos foi informado de que a plataforma que gestiona esta página está no exterior.

A empresa que gere a plataforma do Get Group, está sediada em Dubai, com subsidiárias no Egito, Canadá, América Latina e Arábia Saudita. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Manifestações em El Aaiun celebrando a primeira acção armada da POLISARIO

PUSL.- Homens, mulheres e crianças saharauis sairam à rua no dia 20 de Maio em El Aaiun, celebrando o aniversário da primeira acção armada da Frente Polisário.

Apesar do cerco policial e militar e de forças auxiliares marroquinas, para evitar as manifestações em todo o território do Sahara Ocidental ocupado, a população saharaui saiu à rua manifestando-se.

O 20 de Maio é celebrado anulamente apesar de toda a repressão e controle apertado das forças de ocupação que reprimem qualquer manifestação.

No bairro de El Arak em El Aaiun, um grupo de saharauis consegui escapar ao cerco policial e manifestou-se pelas 23h como se pode ver no video.

A realização de manifestações nos territórios ocupados é cada vez mais dificil. As autoridades marroquinas impedem a todo o custo o agrupamento de saharauis para que não se realizem manifestações.

Bairros inteiros estã sob cerco policial continuo e a policia secreta está presente em todas as cidades. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Julgamento contra Nazha Khatari El-Khalidi adiado para 24 de junho

PUSL, 20 de maio de 2019 .- De acordo com as informações da Equipe Media, o julgamento da activista saharaui e jornalista da Equipe Media, Nazha Khatari El-Khalidi, foi adiado para 24 de Junho.

O adiamento do processo contra El Khalidi foi justificado pelo tribunal com a necessidade de inspecionar mais pormenorizadamente o conteúdo do telemóvel de El Khalidi que foi confiscado pela polícia no início de dezembro do ano passado.

El Khalidi enfrenta graves acusações por filmar uma manifestação pacífica de cidadãos saharauis nas ruas de El-Aaiún, capital do Sahara Ocidental ocupado pelo Reino de Marrocos desde 1975.

No contexto do mesmo processo judicial, em 19 de maio, as forças de ocupação marroquinas expulsaram sete observadores internacionais que pretendiam comparecer ao julgamento. Os cinco advogados espanhóis e dois membros noruegueses da Fundação RAFTO que pretendiam observar os procedimentos do julgamento foram expulsos sem qualquer outra justificação “que é proibido entrar no Sahara Ocidental” no controlo fronteiriço no aeroporto de El Aaiun pelas autoridades marroquinas. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

20 de Maio de 1973 – primeira acção armada da Frente Polisário contra o colonialismo espanhol

PUSL.- A 20 de Maio de 1973, apenas dez dias após a sua fundação, a Frente Polisario realizou a sua primeira acção armada contra o colonialismo espanhol. O alvo foi o posto da policia de El Janga.

Esta acção foi a primeira que marcou o inicio da guerra de libertação e que rapidamente ultrapassou a capacidade de resposta de Espanha e o seu controle sobre o território saharaui.

As ações seguintes fortaleceram o prestigio da Frente Polisario não só perante a população saharaui como também entre os saharauis que serviam no exercito colonial espanhol.

A história é conhecida, Espanha vendeu o território e os seus habitantes como se tratassem de um rebanho de cabras a Marrocos e Mauritânia, cedendo este país riquíssimo nos acordos de Madrid, de forma ilegal e criminosa.

Seguiram-se os bombardeamentos de Napalm e Fósforo Branco, a Marcha Negra (chamada de verde pelos Marroquinos), milhares de mortos, torturados, desaparecidos e uma guerra de resistência e valentia dos Saharauis até 1991, quando foi assinado o cessar-fogo. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Marrocos não quer testemunhas e expulsa cinco advogados espanhóis e dois observadores noruegueses de El Aaiún

– O regime marroquino não quer presença internacional no julgamento contra a jornalista saharaui Nazha El Kalhidi
– Advogados espanhóis são credenciados pelo Conselho Geral de Direito Espanhol
– “É proibido entrar em El Aaiún”, explicação da polícia marroquina

Alfonso Lafarga (Contramutis).- Marrocos impediu cinco advogados espanhóis e dois observadores noruegueses a entrar em El Aaiun, capital do Sahara Ocidental, onde tinham viajado para assistir ao julgamento contra a jornalista saharaui Nazha O Kalhidi acusada ​​de excercer a profissão sem qualificações formais.

“É proibido entrar em El Aaiún”, foi a única explicação recebida pelos advogados Sidi Telebbuia, de Madrid; Ramon Campos Garcia e Maria Lourdes Baron Jaques de Zaragoza e Lala Travieso Darias e Ruth Sebastian, de Las Palmas, todos credenciados pelo Conselho Geral Espanhol de Advogados e Observadores noruegueses da Fundação Rafto para os Direitos humanos Vegard Fosso Smievoll e Kjersti Brevik Moeller. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Caso Polisario revela altos riscos por trás do entusiasmo ESG (critério ambiental, social e de governança) dos investidores

A acção judicial sobre o território africano em disputa afecta as ligações da UE com Marrocos

Financial Times / JOHN DIZARD. .- O que os militares chamam de guerra assimétrica – guerrilheiros lutando contra exércitos regulares – chegou ao mundo da conformidade.

Movimentos políticos com poucos ativos financeiros, sem falar na superioridade militar, podem ganhar na justiça contra os atores corporativos ou do governo.

Graças à sua capacidade de usar os seus ganhos, influenciando trilhões de dinheiro dos investidores, ou sensíveis fundos soberanos, eles podem gerar um enorme efeito.

Por exemplo o caso no Tribunal Europeu de Justiça em 29 de abril pela Frente Polisário, um grupo político que exige total soberania para o Sahara Ocidental ocupado pelos marroquinos. Seus advogados afirmam que Bruxelas está a violar a lei de direitos humanos da UE ao permitir, até encorajar, a importação de recursos naturais do território. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

O Comité Saharaui CODAPSO reúne-se com o jornal dos EUA, o Wall Street Journal

Hmad Hammad, M. Dadash, D. Nissembaum y A. Biay

Redação e edição: Diario La Realidad Saharaui/ DLRS 17/05/2019
O Comité Saharaui CODAPSO reuniu-se com o jornal americano The Wall Street Journal.

O Comitê para a Defesa da Autodeterminação do Povo do Sahara Ocidental, CODAPSO, reuniu-se em 13 de maio na cidade ocupada de El Aaiun, Sahara Ocidental, com o jornal americano The Wall Street Journal e informou sobre a situação das violações dos direitos humanos. que os saharauis sofrem nos territórios ocupados.

Segunda a informação recolhida pelo DLRS , o Comitê para a Defesa do Direito à Autodeterminação do Povo do Sahara Ocidental reuniu-se em El Aaiun em 13 de maio com o distinto jornalista americano Dion Nissenbaum. Participaram do encontro o Sr. Sidi Mohamed Dadash, portador do Prémio Norueguês de Direitos Humanos Rafto, o Vice-Presidente do Comité, o Sr. Hmad Hammad e Abdelaziz Biay, membro da CODAPSO”. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Marrocos: lei usada para silenciar jornalistas

Mulher que filmou a polícia enfrenta 2 anos na prisão

(Nova Iorque) HWR – As autoridades marroquinas estão a utilizar uma lei destinada a impedir que as pessoas reivindiquem falsamente credenciais profissionais para acusações criminais contra pessoas que tentam expor abusos, disse hoje a Human Rights Watch.

No último caso, Nazha Khalidi, que é afiliada ao grupo ativista Equipe Media em El-Aaiun, no Sahara Ocidental, será julgada a 20 de maio de 2019, acusada de não cumprir os requisitos para se intitular jornalista. A polícia prendeu-a a 4 de dezembro de 2018, enquanto ela estava a transmitir em directo no Facebook uma cena de rua no Sahara Ocidental e denunciando a “repressão” marroquina. Ela pode ser condenada a dois anos de prisão.

“As pessoas que falam pacificamente nunca devem ter medo de ser presas por ‘fingir’ serem jornalistas”, disse Eric Goldstein, diretor adjunto do Oriente Médio e Norte da África da Human Rights Watch. “As autoridades não deveriam estar a usar uma lei destinada a impedir que uma pessoa não qualificada alegue ser um médico, por exemplo, para punir pessoas cujos comentários lhes desagrade.” Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Seminário sobre Política e Direitos Humanos no Sahara Ocidental, em Pretória, África do Sul

PUSL.- Na última segunda-feira, dia 13 de maio, realizou-se no Conselho de Pesquisas em Ciências Humanas, em Pretória, na África do Sul, um Seminário sobre Política e Direitos Humanos no Sahara Ocidental.

O seminário foi organizado pelo Instituto Africano da África do Sul e co-organizado pela Africa Solidarity for Sahrawi e PorUnSaharaLibre.org (PUSL). Este seminário pretendia abordar os aspectos políticos e de direitos humanos que precisam ser considerados ao desenvolver uma solução para o conflito . Atualmente, as negociações para resolver a disputa foram reativadas. Tem havido grandes preocupações com os direitos humanos neste conflito, estando um grande número de saharauis em campos de refugiados, sob ocupação marroquina ou na prisão. Há mais de 40 anos que o povo saharaui espera exercer o seu direito à autodeterminação.

O Dr. Check Achu, Especialista Sênior em Pesquisa da AISA / HSRC fez a abertura do seminário, seguido pelo Dr. Onuorah Obodozie, Investigador Associado do Instituto de Estudos da Renascença Africana, que fez um breve resumo dos eventos que levaram ao conflito. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Conflito do Sahara Ocidental apresentado na Igreja Elim em Pretória, África do Sul

PUSL.- A Igreja Elim, em Pretória, na África do Sul, celebrou no dia 12 de maio o Dia das Mães para homenagear as mães na África e no mundo. Neste contexto, a congregação dedicou grande parte do serviço dominical à apresentação sobre a situação do conflito do Sahara Ocidental e, em particular, sobre a situação nos territórios ocupados e o sofrimento das mães saharauis que têm de criar educar os seus filhos sob ocupação marroquina.

O Pastor Immanuel Landman e a congregação rezaram pelo resultado pacífico deste conflito, pela protecção da população saharaui e por dar sabedoria aos líderes mundiais para que os saharauis possam alcançar rapidamente a sua liberdade.

A apresentação sobre o Sahara Ocidental foi feita pelo Sr. Atabongwoung Gallous, da Africa Solidarity for Saharawi, e pela activista portuguesa dos direitos humanos, Isabel Lourenço, membro da PUSL e da FUSO. Read more

Ayúdanos a difundir >>>
1 2 3 96