Preso político saharaui e jornalista em greve de fome desde 3 de Março

12957364_975261059217892_172814469_nFonte: Equipe Media e Por un Sahara Libre

O Sr. Banbari Mohamed, saharaui repórter da Equipe Media e prisioneiro político condenado a 6 anos iniciou uma  greve de fome por tempo indeterminado a 3 de março 2016 na prisão de Dahkla, territórios ocupados do Sahara Ocidental.

Recordamos que Mohamed Banbari foi condenado a seis anos de prisão pelo Tribunal de Primeira Instância de El Aaiun, em julgamento na terça-feira 12 de Janeiro de 2016. A sentença contra Mohamed Banbari, que estava em greve de fome, foi precedida por 12 anos de prisão condenação atribuída na primeira instância do mesmo tribunal.

Banbari, 46 anos, correspondente em Dakhla de Equipe Media, disse após a decisão do tribunal que iria continuar a greve de fome que terminou após 28 dias, e apelou aos saharauis e organizações internacionais para fazer pressão sobre Marrocos. Equipe Média considera que este é um prisioneiro político.

Preso a 26 de agosto, 2015, quando foi a delegação da polícia para renovar o bilhete de identidade, foi maltratado durante quatro dias, sendo condenado a um mês de prisão, mas manteve-se sob custódia até setembro, quando foi presente perante um juiz que abriu a investigação de outro caso.

As acusações foram incitar os saharauis a participar nas manifestações de setembro 2011 depois de um jogo de futebol, e participação no assassinato de dois marroquinos. A acusação foi feita após quase quatro anos da data dos alegados  acontecimentos, nenhuma ordem de prisão ou detenção foi emitida nesse período.

A prova de culpa de acordo com o juiz, eram as alegadas confissões feitas por ex-presos. O Sr. Banbari disse que o Tribunal não convocou os ex-presos, que alegadamente tinham feito as acusações contra ele, para testemunhar. O único ex-preso que foi convocado foi o Sr. Atiko Baray, que negou as acusações de forma categórica. O juiz do Tribunal de Apelação de El Aaiun sentenciou uma pena de prisão de doze anos.

Após este julgamento, a 5 de novembro de 2015, Banbari iniciou uma greve de fome sob o lema “Liberdade de resistência ou martírio por seu país” tendo sido transferido da prisão negra de El Aaiun para o hospital na segunda-feira 28 dezembro, 2015, depois de sofrer desmaios e vómitos após 54 dias de greve de fome. A sua saúde havia piorado pondo em perigo a vida deste membro da Equipe Media, que  tenta dar a conhecer a realidade do povo saharaui sob a ocupação marroquina,  devido ao seu estado de saúde o julgamento foi adiado para 12 de janeiro de 2016.

Equipe Média considera que a sentença contra Banbari está em linha com as acções das autoridades marroquinas para reprimir os jornalistas e profissionais dos meios de comunicação saharauis nos territórios ocupados do Sahara Ocidental, e é uma mensagem clara contra os jornalistas fora das linhas oficiais regime.

Banbari Mohamed começou a sua colaboração com a Equipe Média em 27 de janeiro de 2014. Ele é divorciado e pai de dois filhos.

Ayúdanos a difundir >>>