Sobre a suposta “negociação em segredo” entre Marrocos e a ONU

minursoaeroport

23 de maio de 2016, porunsaharalibre.org

Como no seria de esperar outra coisa, Marrocos tenta vender a negociação do regresso da MINURSO como algo secreto, impondo as suas exigências. A expulsão da MINURSO teve como único fim a redução da capacidade política da MINURSO em cumprir o objectivo e propósito da missão: a realização do referendo.

Perguntamo-nos como é possível que o Conselho de Segurança da ONU acedeu prontamente à retirada do seu componente civil, emitindo depois uma declaração frouxa que não condena a atuação de Marrocos e propõe um prazo de três meses para o regresso dos funcionários à MINURSO.

A cumplicidade explicita do grupo de amigos do Sahara Ocidental (com exceção da Rússia), com Marrocos é escandalosa.O posicionamento de França não surpreende sendo a face visível do apoio a Marrocos, mas França nunca poderia opor-se aos EUA e ao Reino Unido,caso estes dois países estivessem de facto dispostos a defender a integridade da MINURSO e condenar a atuação do Reino Alauita. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

O povo saharaui celebrou o décimo aniversário da revolta de Independência

Pueblo Saharaui

Shaheed El Hafed, 21/05/16 (SPS)

O povo saharaui comemorou sábado, o XI aniversário da Revolta da Independência, a revolta em que os cidadãos saharauis expressarem a sua rejeição à ocupação marroquina.

A revolta histórica a 21 de maio de 2005 abalou os alicerces da ocupação marroquina, as massas saharauis de El Aaiun tomaram as ruas da capital ocupando-a com bandeiras saharauis e faixas com palavras de ordem que exigiam o direito de autodeterminação e independência.

A revolta foi uma forte resposta à comunidade internacional pela sua demora e falta de execução da legitimidade e uma resposta clara às reivindicações do regime marroquino e sua política de intransigência e obstrução a uma solução do conflito dentro do quadro legal para a determinação do povo saharaui.

Read more

Ayúdanos a difundir >>>

A estranha ofensiva de Mohammed VI. Após a ONU, Marrocos em confronto com a Tunísia e os EUA

Mohammed VI

23 de maio de 2016 por porunsaharalibre

Por: Abla Cherif – Argel (Le Soir dAlgerie.com) – Tradução: Poemario para Sahara Libre/porunsaharalibre, 21/05/2016

O rei de Marrocos decidiu saltar de cabeça numa estratégia de confronto de resultado incerto. Alarmados com a perspectiva de perder a batalha do Sahara Ocidental, cruza espadas, por vezes violentamente, com qualquer um que contradiz ou possa contradizer a sua lógica.

Mohammed VI não hesitou em participar numa primeira guerra contra as Nações Unidas e, em seguida, contra instituições norte-americanas acusando-as de terem mudado o curso do seu posicionamento no conflito do Sahara Ocidental. Os últimos dias mostraram também a lógica louca em que o monarca embarcou através das reações que se seguiram à publicação de um relatório do Departamento de Estado dos EUA, onde eram denunciados os graves abusos dos direitos humanos neste país. Este documento, publicado anualmente, a instituição sugere a persistência de problemas como a corrupção, o uso quase sistemático da força, tortura e condições de detenção miseráveis em prisões marroquinas. O mesmo relatório indica que a justiça marroquina, por vezes, “carece de independência e o direito do acusado a um julgamento justo (…) o governo marroquino, por outro lado viola as liberdades de expressão e de imprensa através de perseguição e detenção de jornalistas seu trabalho sobre temas considerados sensíveis. “Foi o suficiente para que o rei gritasse “manipulação”. Read more

Ayúdanos a difundir >>>