Gladiadores virtuais ou baratas a soldo

5000 cucarachas

25 de maio de 2016, porusaharalibre.org

Um artigo publicado no jornal La Vanguardia de dia 24 de Maio, informa-nos que Marrocos vai formar 5.000 jovens para defender nas redes sociais que o Sahara Ocidental é marroquino.

O jornal coloca como título de chamada “Gladiadores Virtuais”.

Como todos sabemos os gladiadores, eram na sua maioria escravos capturados entre os prisioneiros de guerra, que eram treinados para lutar nas arenas do Império Romano. De facto os jovens que irão ser formados não passam de isso escravos da mentira do Reino de Marrocos que continua convicto que se repetir a mesma mentira vezes sem conta irá conseguir convencer o mundo.

Segundo se pode ler no artigo as autoridades do governo marroquino alegam que a iniciativa não foi lançada por eles, mas partiu sim, de vários organismos da juventude e da sociedade civil.

Não obstante o governo vai formar 5.000 jovens, entre os 20 e os 40 anos, para defender nas redes sociais que o Sahara Ocidental é marroquino. Chamam-lhes Gladiadores ou combatentes electrónicos, qualquer uma das designações deixa claro que se trata de um exército às ordens do Rei, e que o governo irá fornecer toda a logística necessária para a sua formação. O Ministério da Comunicação assinou um acordo com o Instituto de Jovens e Democracia para colaborar na implementação desta rede de soldados on-line.

Os candidatos devem passar alguns testes antes de se juntar a esta tropa de elite no ciberespaço. A seleção será feita de acordo com seu histórico acadêmico, seu conhecimento de línguas, formação teórica ou técnica ou contribuições que já fizeram em defesa do que o Reino de Marrocos chama: “Sahara marroquino”. Irão ser leccionados em história, geografia, política e outros temas de interesse para que estejam aptos a reescrever a história como o fazem os grupo fanáticos nos EUA que negam o holocausto durante a II Guerra Mundial.

A técnica é antiga e muito popular entre os ditadores ao longo dos séculos, a diferença é apenas o palco de atuação que agora passou a ser o ciberespaço.

Porunsaharalibre.org recorda que a utilização da terminologia “Sahara marroquino” não é aceite pelas Nações Unidas e que Marrocos já foi várias vezes alertado para esse facto em sessões como a sessão de direitos humanos em Genebra. A terminologia é ilegal porque não reflete a verdade, a verdade é que por muitos “gladiadores” que possa formar Marrocos, não é possível negar o facto que o Sahara Ocidental é internacionalmente reconhecido como um território não autónomo, com um processo de descolonização pendente e ilegalmente ocupado por Marrocos, que para manter essa ocupação rodeou o território de um muro militar com 2720km de extensão, a área mais minada per capita do mundo e necessita de uma presença militar, paramilitar, policial e de colonos massiva.

Foi expresso pelo Reino que que os jovens de origem saharaui que querem fazer parte desta equipa soldados virtuais serão especialmente bem-vindos. Mais uma vez a história repete-se apelando à participação de bufos e pessoas que se vendem por pouco.

Segundo garante o ministro das Comunicações, Mustafa o Khalfi, de momento que não haverá compensação prevista para tanta dedicação, mais vai haver prêmios de excelência para aqueles que se distinguem pela sua criatividade e o valor de seus projetos. Valoriza-se e dá-se prémios a quem mente descaradamente , um excelente exemplo da parte do Ministério para a juventude marroquina. Mas não é apenas premiado que melhor mente e mais convence, senão quem mais manipula, pois leia-se que os participantes também irão beneficiar de aprender as técnicas adequadas para controlar as redes sociais e otimizar a sua missão para tratar todos aqueles que negam a integridade territorial de Marrocos ou do Sahara marroquino.

Ayúdanos a difundir >>>