Apelam a empresários para não cair nas “falsas promessas” de investimento no Sahara Ocidental ocupado

empresarios

Fonte: La Vanguardia

Santa Cruz de Tenerife, 26 de maio (EFE) .- A delegação saharaui pediu aos empresário das Ilhas Canárias para que não se acreditem nas “falsas promessas” para fazer investimentos na área do Sahara Ocidental ocupado por Marrocos, que em sua opinião envolve “um oportunismo simples” que não beneficia o povo saharaui.

Em comunicado, a delegação saharaui revela que o investimento nesta área só beneficia “o ocupante marroquino como meio de propaganda e balão de oxigênio ” num momento que é definido pela comunidade internacional pela expulsão do componente civil da MINURSO, que é o garante da paz.

Acrescenta que o acórdão do Tribunal de Justiça Europeu considera ilegais todos os acordos comerciais assinados com Marrocos, que incluam os territórios do Sahara Ocidental. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

O preso político saharaui Mohamed El Hafed Yazza termina greve de fome

preso politico26 de maio de 2016, porunsaharalibre.org

O preso politico saharaui Mohamed El Hafed Yazza terminou esta madrugada a sua greve de fome após 26 dias.

A Adiministração Geral das Penitenciárias ordenou a sua transferência hoje da prisão de Ait Melloul para a prisão de Taroudant.

O estado de saúde de Mohamed El Hafed Yazza é muito preocupante sendo incapaz de se manter de pé.

Recordamos que o preso politico saharaui já realizou várias greves de fome ao desde 2008 ano em que foi injustamente condenado a 15 anos de prisão.

Durante o seu tempo de detenção tem sido vitima constante de maus tratos e negliência médica grave. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Cspron lança apelo às associações espanholas

FotorCreated

26 de Maio de 2016, Prisão de Salé, Rabat / Sidahmed Lemjeyid Presidente da CSPRON / porunsaharalibre.org

Caros amigos,

Como é do vosso conhecimento em Dezembro do ano passado o tribunal Europeu publicou o acórdão que denuncia o acordo comercial UE/Marrocos no que respeita a exploração e comercialização de produtos agrícolas e pesqueiros do Sahara Ocidental.

Lamentavelmente os governos de Portugal e de Espanha apoiam o recurso contra a decisão de anulação deste acórdão.

Os produtos originários do Sahara Ocidental são produzidos e explorados ilegalmente não beneficiando em nada os legítimos donos do território e provocando sérios problemas ambientais, devido à produção intensiva que utiliza águas fósseis não renováveis.

Não existe nenhuma razão que possa justificar a atuação dos governos de Portugal e Espanha nesta matéria, a importação de tomates e outros produtos não é uma necessidade para estes países que produzem o suficiente para não ter que juntar mais crimes à sua história, usufruindo do roubo das riquezas de colónias e povos subjugados à tirania. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Aminetu Haidar teme que a frustração leve os jovens saharauis à violência

aminatou haidar

Fonte: Terra Notícias

A activista saharaui Aminetu Haidar expressou hoje à Efe a sua preocupação com a “frustração” dos jovens saharauis que não vêm uma solução para o conflito com Marrocos, que os leve a abraçar a violência e pediu à comunidade internacional, em especial a França, para apoiar a sua causa.

Haidar tomou passou pelo capital da Noruega para participar no Fórum da Liberdade de Oslo para “quebrar o muro de silêncio que Marrocos mantém sobre o Sahara e deixar bem clara a situação diária do povo saharaui”.

Em entrevista à Efe, a ativista acusa França e Marrocos por bloquearem o avanço da autodeterminação do Sahara Ocidental e a realização de um plebiscito sobre o assunto, bem como Espanha por não assumir um papel ativo em favor da independência da sua antiga colónia.

A ativista acha que a posição da França no Conselho de Segurança da ONU e as dificuldades da organização multilateral para conseguir avanços no conflito, está a fazer com que as novas gerações “percam a confiança” numa solução pacífica. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Os tomates da vergonha

tomates

Fonte: EUROBLOG / eldiario.es / JORDI Sebastia – Deputada Europeia compromis-Spring

O Tribunal de Justiça Europeu anulou o acordo de comércio entre a UE e Marrocos por incluir produtos beneficiando das vantagens nele previstas que eram originários do Sahara Ocidental.

Faz mais de cinco meses desde que o Tribunal de Justiça Europeu anulou o acordo de comércio entre a UE e Marrocos por incluir produtos beneficiando das vantagens nele previstas que eram originários do Sahara Ocidental. A sentença foi muito clara e censurou com um tom bastante duro a atitude do Conselho Europeu (que representa-os estados membros), por não ter tido em conta nem o que nem a ONU nem a própria União Europeia nunca reconheceram a soberania de Marrocos sobre o ex-colónia espanhola. O ditame também reconheceu a requerente, a Frente Polisário, como uma organização legítima para apresentar o recurso. Read more

Ayúdanos a difundir >>>