Processo de eleição do Secretário Geral das Nações Unidas

onu

30 de agosto de 2016, porunsaharalibre.org

O Secretário Geral é eleito pelos 193-membros da Assembleia Geral das Nações Unidas, que se baseiam na recomendação dos 15 membros do Conselho de Segurança. Como o Conselho de Segurança tem 5 países membros permanentes – EUA, Russia, China, Reino Unido e França — com poder de veto e 10 membros não permanentes, quem escolhe efectivamente o próximo SG são os 5 membros permanentes.

Durante meses foram aceites “candidaturas” que agora passaram por um processo no Conselho de Segurança onde os membros declaram se “encorajam”, “desencorajam” ou “não têm opinião” sobre cada um dos candidatos.

Este processo consta de 4 rondas, tendo já sido completadas 3.

A falta de democracia do processo é óbvia uma vez que nos membros permanentes do Conselho de Segurança estão 3 membros da NATO, sendo um o EUA e os outros dois da Europa, há ainda um representante euro-asiático (Russia) e um asiático (China) mas nenhum de África nem da América Latina. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Movimento Democrático de Mulheres solidário com Sahara Ocidental

mdm

30 de agosto de 2016, porunsaharalibre.org

O Movimento Democrático de Mulheres está solidário com a União Nacional das Mulheres Saharauis e o povo saharaui e denuncia a violação de cessar fogo por parte de Marrocos e a escalada de tensão na zona do Sahara Ocidental.

O MDM apela à ONU, à responsabilidade da MINURSO (Missão da ONU para o Sahara Ocidental) e ao governo português no sentido de travar a ânsia beligerante de Marrocos sobre o Sahara Ocidental. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

O vice-ministro Saharaui para a África informa o CPS da UA sobre a violação de Marrocos na área da Guergarat

img-20160830-wa0034

Addis Abeba, 2016/08/30 (SPS)

O ministro delegado saharaui para os Assuntos Africanos, Mayara Jalil Hamdi, foi recebido hoje, na sede da União Africano, em Addis Abeba, Etiópia, pelo Comissário para a Paz e Segurança da União Africana Embaixador Ismail Shargui para informar sobre a posição sobre a recente escalada na zona de El Guergarat.

Neste contexto, o responsável saharaui disse que “a decisão marroquina de entrar na área de El Guergarat é considerada uma perigosa escalada, cujo impacto pode ameaçar seriamente o cessar fogo vigente na região”, acrescentando que, “informar o Conselho de Paz e Segurança da UA sobre a situação e eventos, como foi feito anteriormente com a ONU e a sua missão no Sahara Ocidental (MINURSO), é uma prova de que a parte saharaui entende a gravidade do passo dado pelo lado marroquino “. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Homenagem a Maite Lorenzo ativista do internacionalismo e presidente da “Cantabria para o Sahara”

14191794_10154415423530912_140894333_o

Por Aby Athman

Domingo, 28 de agosto, em Santander, Cantabria para o Sahara organizou uma merecida homenagem à recém falecida presidente da associação. A homenagem foi feita, , coincidindo com a reunião de despedida das crianças do programa férias em paz, quer era um dos eventos que Maite mais gostava, disse Vanesa Revuelta Campos, membro de Cantábria para o Sahara. O evento, contou com contar de histórias, atividades e jogos dinamizados pela Associação Cultural outubro e performances musicais de Jarcia Suciu e Jhetró Legrand, foi, acima de tudo, uma memória emocionada de Maite de toda a organização, amigos a da família da ativista, onde se apresentou a sua trajetória, um caminho no qual surgiu Cantabria para o Sahara através de Interpueblos e o Comité de Solidariedade com os povos, organizações cantabrias irmãs que defendem os povos irmãos Sahara e Palestina.

O momento da memória foi moderado por Carmen Garcia, membro da Cantábria para o Sahara, perante os participantes que firmes, de pé em silêncio ouviram as palavras de familiares, amigos e colegas, com lágrimas de todos aqueles que conheceram Maite, compartilhamos a sua luta, seus ideais e seu entusiasmo com a solidariedade internacional carregada com uma mensagem de paz e de compromisso com a liberdade de todas as pessoas e povos oprimidos. Read more

Ayúdanos a difundir >>>