Visita de uma delegação das Nações Unidas à RASD e reunião com a direção política da Polisario

Reunión ONU – POLISARIO / Foto. Jalil Mohamed

Fuente. RASD-TV edición español / EIC Poemario por un Sahara Libre

Na sede do governo saharaui em Shaheed El Hafed foi recebida Segunda-feira 5 de Setembro, uma delegação das Nações Unidas composta por Kim Bolduc chefe da MINURSO no Sahara Ocidental e o General Mohamed Tayeb Azam responsável pela sede da MINURSO no Sahara Ocidental. Pela parte saharaui estiveram, Mr. Khadad coordenador responsável para a MINURSO, o ministro da Defesa Abdelahi Lehbib e o chefe da Segurança Nacional e Documentação Mr. Brahim Ahmed Mahmoud.

Segundo noticia da RASD-TV Informação saharaui na sua edição de língua espanhola, o chefe da segurança nacional saharaui disse que “nós encontramos com uma delegação de alto nível da Missão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental, MINRUSO, uma delegação que trabalha e reporta diretamente ao Secretário-Geral da ONU.

Esta reunião demonstra o grande interesse que dedica a Secretária-geral e o Conselho de Segurança à situação atual do conflito, sem uma uma solução esta violação por parte de Marrocos pode ser o pavio para a eclosão do conflito. A reunião para a parte saharaui foi uma oportunidade para expor a posição da Direção Nacional saharaui em relação à situação atual de conflito, uma posição em linha com o Secretário-Geral da ONU, que declarou que se deve voltar à situação como estava antes do conflito do passado dia 10 de agosto.

O que significa isso?

Isso implica a cessação das actividades de Marrocos, a retirada para o outro lado do muro e manutenção do status quo, como era antes. A mesma decisão adoptada pelos líderes saharauis, que deve ser tomada uma solução contundente em que não há soluções parciais e a situação anterior deve ser reposta, caso isso não aconteça a parte saharaui vai assumir a sua responsabilidade de passar as consequências para neutralizar estes provocações de Marrocos à legalidade internacional.

Num momento especial a 6 de setembro data da assinatura do acordo de cessar-fogo com Marrocos e que também queremos lembrar a missão para a qual foi implantado a MINURSO no território, ou seja para cumprir sua missão integrada abrangida pelo acordo de paz e deve criar as condições para a realização de um referendo de autodeterminação do povo saharaui. Qualquer tentativa que não seja nessa direção é considerada distúrbio, manobra e fuga ao acordo. O núcleo deste problema está na implementação do plano de paz e o direito do povo saharaui de exercer a autodeterminação, tudo isso foi transmitido de forma muito clara à delegação da ONU “.

Concluio o responsável saharaui depois de se reunir com a delegação da Organização das Nações Unidas ontem, em consulta com as autoridades saharauis sobre a crise que levou Marrocos a violar o acordo de paz de 1991.

Ayúdanos a difundir >>>