Segundo Innercitypress a ONU pretende terminar a estrada de asfalto iniciada por Marrocos em Guergarat

guergarat

9 de setembro de 2016 – porunsaharalibre.org

Segundo informação da Innercitypress existe a possibilidade que as Nações Unidas terminem a estrada de asfalto iniciada de forma ilegal e em violação do acordo de cessar fogo por Marrocos em Agosto passado na zona de Guergarat.

Desde o inicio desta obra e do destacamento de militares marroquinos para esta zona tampão a situação tem se agravado e houve uma clara subida de tensão entre Marrocos e Polisario.

Apesar dos saharauis apelarem repetidamente a ONU para intervir nesta clara violação dos acordos firmados por parte de Marrocos, tem-se assistido a uma impassividade total.

Após 25 anos de mentiras por parte da comunidade internacional que não faz cumprir as resoluções aprovadas para a realização do referendo, a população saharaui chegou ao limite da paciência. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Representante da Polisario na ONU reúne-se com o presidente do CS para abordar a situação em Guergarat

Representante Polisario ante la ONU, Ahmed Bujari

Nueva York, 08/09/2016 (SPS)

O representante da Frente Polisario na ONU, Ahmed Boukhari foi recebido quarta-feira em Nova Iorque pelo Presidente do Conselho de Segurança da ONU, o Sr. Gerard Van Boheman com quem abordou a situação na área de Guergarat.

Durante a reunião, o Sr. Bukhari informou o presidente do Conselho de Segurança sobre a situação criada em El Guergarat após a violação por parte de Marrocos do acordo de cessar-fogo acordado entre a Frente Polisário e Marrocos, sob os auspícios das Nações.

O Sr . Bukhari transmitiui ao Sr. Van Boheman a posição assumida pela Frente Polisário para enfrentar a provocação de Marrocos, que “põe em risco a possibilidade de uma solução pacífica e constitui uma ameaça directa para a estabilidade e a segurança na região.”

Bukhari reiterou o apelo para “a necessidade urgente do Conselho de Segurança assumir a sua responsabilidade de evitar que a situação criada unilateralmente por Marrocos conduza a um cenário de conflito aberto com consequências imprevisíveis.” Read more

Ayúdanos a difundir >>>