Actuar e intervir para ajudar o povo saharaui

ayuda-sahara

5 de outubro de 2016, porunsaharalibre.org

Hoje mais que nunca, com os recentes acontecimentos no Sahara Ocidental é urgente a nossa intervenção e apoio ao povo saharaui.

É urgente o nosso poscionamento politico perante a ocupação ilegal do Sahara Ocidental. É urgente a nossa denúncia. É urgente exigir o fim do colonialismo.

O povo saharaui merece a nossa atenção, a nossa solidariedade, porque a sua luta é justa, a sua luta é digna e as suas revindicações legitimas.

Há 25 anos Marrocos e a Frente Polisario, sob os auspicios da ONU assinaram um acordo de cessar fogo, acordo este renegado sistematicamente até aos dias de hoje por Marrocos. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Antonio Guterres SG de la ONU

guterres5 de outubro de 2016, porunsaharalibre.org

Não houve nenhum veto dos membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU contra Guterres, que poderá ser confirmado amanhã e “por aclamação” como o próximo secretário-geral das Nações Unidas.

A votação final está marcada para amanhã às 10 da manhã, hora de Nova Iorque. O embaixador russo, Churkin, espera que Guterres seja eleito secretário-geral “por aclamação”.

Na votação de hoje os votos dos membros permanentes (China, Rússia, França, Reino Unido e Estados Unidos) tinham um cor diferente para se poder identificar se havia algum veto.

Apenas dois membros do CS votaram “sem opinião”, os restantes 13 votos foram “encorajadores”. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

4 Comissão para a descolonização – quem são os colonizadores?

640px-un-non-self-governing_territories-svg

5 de outubro de 2016, porunsaharalibre.org

Está de decorrer a 71ª sessão da 4a comissão para a descolonização da ONU. Esta comissão que deveria já ter deixado de existir, continua o seu trabalho visto que 56 anos após a resolução 1514 (XV) adoptada pela Assembleia Geral das Nações Unidas a 14 de Dezembro de 1960, continuam a existir 17 territórios não autónomos (TNA), entre os quais o Sahara Ocidental.

Quais os impedimentos à descolonização e à implementação das resoluções da ONU? Qual a dificuldade do Conselho de Segurança da ONU no Sahara Ocidental, por exemplo?

Para se entender a “dificuldade” e o “atraso” na descolonização dos 17 TNA há que saber primeiro quais são e quem são os colonizadores. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Inacção da ONU pode levar ao fim do cessar-fogo

ould-salek15 de outubro de 2016, Innercitypress / porunsaharalibre.org, 

Segundo informação de Innercitypress , o jornalista Matthew Russel perguntou ao vice-porta-voz de Ban Ki-Moon, Sr. Farhan Haq quantos dos 83 funcionários da MINURSO expulsos por Marrocos estão de volta ao terreno, ao que Farhan Haq respondeu que apenas regressaram 25. E não respondeu sobre, ou mesmo a confirmação de recebimento da, carta de 26 de setembro que a Frente POLISARIO enviou a Ban Ki -Moon.

O site da Innercitypress publicou a declaração do Chefe de Relações Exteriores da Frente Polisario, Mohamed Salem Ould-Salak, que aqui reproduzimos. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Audiência Nacional Espanhola reconhece o estatuto de refugiado político a Hassanna Aalia

Hassanna Aalia, junto al abogado Javier Canivell y Patricia Bárcena, directora de CEAR Euskadi. (ARGAZKI PRESS)

Fonte: NAIZ

Após 5 anos, a Corte Nacional espanhola reconheceu o estatuto de refugiado político a Hassanna Aalia, ativista saharaui, que na conferência de imprensa em Bilbo mostrou a sua satisfação e agradeceu aqueles que o apoiaram. “Vamos comemorar quando todos os prisioneiros e refugiados saharauis estejam em liberdade.”

Hassanna Aalia recebeu o estatuto de refugiado político. A Corte Nacional espanhola reconheceu o estatuto de refugiado político a Hassanna Aalia. O activista saharaui que passou cinco anos a lutar por esse estatuto e contra a reivindicação de Marrocos para a extradição e a ordem de expulsão emitida pelo Estado espanhol.

O jovem saharaui agradeceu o apoio recebido durante este longo processo de cinco anos e ficou feliz com a notícia. No entanto, ele observou que só vai comemorar “, quando todos os prisioneiros e refugiados saharauis estejam livres.” Read more

Ayúdanos a difundir >>>