O filho pródigo Marrocos não pode impor condições à África para voltar para casa

Owei Lakemfa

Owei Lakemfa

Marrocos: Um filho pródigo dita condições
Fonte: The News (jornal da Nigeria) / Por Owei Lakemfa*

Tradução porunsaharalibre.org

África, amada por Deus tem muitos filhos e filhas. Alguns deles do antigo Egito deram ao mundo a civilização moderna. Também deram à Grécia a sua filosofia que se tornou a base do pensamento ocidental e filosofia. No entanto, uma raça diferente da qual os nossos videntes nos haviam avisado, açambarcou e escravizou quase todas as crianças de África. Com dor e em lágrimas, com o nosso suor e sangue lutamos pela liberdade. Isso foi anos antes de toda a humanidade ter concordado que o direito de um povo à autodeterminação não é negociável.

Mesmo na aurora da liberdade, os filhos da África eram como ovelhas sem Pastor enquanto que os antigos senhores de escravos tentar continuar a nossa escravidão, desta vez, de forma indireta. Nessa altura, criamos dois grandes grupos. Alguns encontraram-se em Casablanca, Marrocos, e tornaram-se o Grupo de Casablanca; os outros tornaram-se o Grupo de Monróvia. os líderes visionários de África reuniram-se em Adis Abeba, na Etiópia e no dia 25 de maio de 1963, deu-se origem a um movimento unido dos povos africanos chamado Organização de Unidade Africana. Nós juramos que os africanos nunca mais seriam escravizados e que aqueles que ainda estavam em cativeiro, como a África do Sul, Angola, Moçambique, Namíbia, Zimbabwe, Guiné-Bissau e o Sahara Ocidental deveriam ser livres. Na verdade, apesar dos esforços dos escravizadores, tornaram-se livres. Todas as crianças africanas se tornaram livres, mas nós não tínhamos previsto que um dos nossos filhos proeminentes iria colaborar com os senhores de escravos estrangeiros para privar um de nós da sua liberdade. Read more

Ayúdanos a difundir >>>