O negócio sujo da água nos territórios ocupados

aguaApesar de existirem lençóis subterrâneos de água potável nos arredores de El Aaiun essa água não pode ser utilizada devido à poluição provocada pelas autoridades de ocupação marroquina.

Os lençóis subterrâneos de água potável, que durante a ocupação espanhola eram filtrados e serviam a população não podem ser utilizados. As autoridades de ocupação despejam no local onde era antes feita a filtragem e extração, todas as águas poluídas, tendo infectado as reservas de água potável.

Hoje em dia a água distribuída durante apenas 2 horas diárias em El Aaiun, é proveniente de estações de dessalinização.

A população saharaui, já de si empobrecida pelo apartheid económico, social e político, é obrigada a comprar água para consumo. A água para beber e utilizar na comida é adquirida a 60cêntimos o Litro, e a água para utilização geral tem que ser adquirida e armazenada em depósitos de plástico ou metal nos telhados das casas, uma vez que as duas horas de distribuição não chegam para as necessidade das famílias. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Suelma Beiruk, vice-presidente do Parlamento Pan-Africano, desmente o ministro marroquino dos Negócios Estrangeiros

acreditacion y pasaporte suilma beiruk

Acreditação e passaporte de Suelma Beiruk e acreditação pan-Africano para a participação na COP22 e passaporte diplomático

Fonte: Equipe de media

A vice-presidente do Parlamento Pan-Africano, Suelma Beiruk, desmentiu as declarações do ministro marroquino dos Negócios Estrangeiros, Saleheddin Mezuar, que argumentou que a decisão de expulsar Suelma Beiruk de Marrocos na semana passada foi porque a Parlamentar queria entrar nesse país com um passaporte da República Da República Árabe Saharaui Democrática, que não é membro das Nações Unidas.

Suelma Beiruk chegou a Marrocos com o objectivo de participar nos trabalhos da conferência sobre o clima COP22, realizada na cidade de Marraquexe e, como ela explicou, foi credenciado pelo Parlamento Pan-Africano e sua chegada ao aeroporto de Marraquexe mostrou o seu passaporte de diplomata africana (ver imagem) aos oficiais dos serviços secretos que a interrogaram antes da sua expulsão. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Manifestação de massas em Madrid em apoio ao referendo saharaui

manifestacion-sahara-2016

Madrid, 12 nov (Sputnik).- Milhares de pessoas tomaram no sábado as ruas de Madrid para exigir um referendo no Sahara Ocidental e o compromisso de Espanha para completar a descolonização.

“Os espanhóis, como prioridade e dever derivados de sua responsabilidade, devem trabalhar no âmbito das organizações internacionais a que pertencem a favor de um referendo sobre a auto-determinação”, disse em declarações à Sputnik Novosti a delegada da Frente Polisário em Espanha, Jira Bulahi.

Este referendo deve garantir a “liberdade de expressão e verdadeira vontade do povo saharaui, com aplicação das decisões pertinentes da União Africana (UA) e as resoluções das Nações Unidas”, acrescentou Bulahi. Read more

Ayúdanos a difundir >>>