EQUO pede a Cañete e Nadal que as energias renováveis importadas de Marrocos não sejam provenientes do Sahara Ocidental

equoFuente: partidoequo.es

O eurodiputado de EQUO (Verdes-ALE), Florent Marcellesi, enviou uma carta ao Ministro da Indústria, Energia e Turismo espanhol, Alvaro Nadal, e outra para o Comissário Europeu de Energia,Miguel Arias Canete, pedindo para esclarecer se a declaração comum sobre o estabelecimento de um roteiro para o comércio de electricidade sustentável entre Marrocos e o Mercado interno europeu da energia recentemente assinado no contexto da COP22 em Marrakech, da garantias de que no futuro a energia renovável exportada de Marrocos para a Europa exclui a energia do Sahara Ocidental, sendo, portanto, a cooperação energética futura entre Espanha e Marrocos, em conformidade com a posição da União Europeia sobre o Sahara Ocidental.

Marcellesi lembrou o ao ministro espanhol e ao comissário europeu para a energia que o Plano de Energia Renovável marroquina inclui o desenvolvimento de instalações de energia renováveis no território do Sahara Ocidental, algumas das quais já estão operacionais, contribuindo para a exploração , dos recursos naturais saharauis por Marrocos. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Repressão e resistência não-violenta na última colônia de África

democracy-now

Artigo publicado em: Democracy Now! Por Amy Goodman e Denis Moynihan

SAHARA OCIDENTAL OCUPADO – Os olhos de Sultana Khaya não combinam perfeitamente. Um deles é artificial. Em 2005, um policia marroquino espetou o seu bastão no soquete do olho enquanto ela estava a protestar pacificamente com colegas estudantes universitários. O policia arrancou o olho com a mão.

Sultana é Saharaui, a população indígena nativa do Sahara Ocidental. Ocupado pelo Reino de Marrocos desde 1975, o Sahara Ocidental é frequentemente referido como a última colónia de África. Os saharauis estão em uma luta prolongada pela autodeterminação, e enfrentam uma terrível repressão por Marrocos.

As Nações Unidas apelaram a um referendo que permitiria aos saharauis decidir se permaneceriam parte de Marrocos ou se tornariam independentes, mas Marrocos bloqueia a votação há mais de 25 anos.

O Sahara Ocidental é um território rico em recursos naturais: pesca, fosfatos e perspectivas de petróleo offshore. Milhares de saharauis foram torturados, presos, mortos e vitimas de desaparecimentos forçados desde que a ocupação começou há mais de 40 anos. Para entender a profundidade do compromisso dos saharauis com a independência, sua coragem diante da brutal opressão, basta olhar nos olhos de Sultana Khaya. Fomos a El Aaiun, capital do Sahara Ocidental, logo após a Cimeira do Clima das Nações Unidas (COP22) encerrada na semana passada em Marraquexe, Marrocos. Read more

Ayúdanos a difundir >>>