Discussão de emenda ao relatório de direitos humanos da UE – Sahara Ocidental

Segundo noticiou a agência noticiosa argelina foi introduzida uma emenda no Relatório anual 2015 sobre os direitos humanos e a democracia no mundo e sobre a política da União Europeia (UE) sobre o assunto, exigindo o restabelecimento da Missão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental (MINURSO) no pleno cumprimento das suas atribuições e o alargamento do seu mandato para que inclua o acompanhamento dos direitos humanos. Esta emenda foi proposta por 89 Eurodeputados.

A alteração ao presente relatório, será debatida na próxima sessão do Parlamento Europeu, a realizar a partir de segunda-feira em Estrasburgo (França), os deputados europeus “pedem insistentemente às Nações Unidas que assegurem o pleno restabelecimento da MINURSO e lhe dêem um mandato de protecção de direitos humanos, à semelhança de todas as outras missões de paz da ONU do mundo “. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Video – Forúm: “O problema, o testemunho do povo saharaui”

Por ocasião do 68º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos (10 de dezembro 1948) e organizado pela Fundação Sahara Ocidental e Assembleia da Extremadura, realizar-se-á a  14 de Dezembro, às 11:30,  um fórum-video, com o título: “O problema, o testemunho do povo saharaui” no Noble Pátio da Assembleia da Extremadura em Mérida.

Este evento contará com a participação de ativistas e defensores / as de direitos humanos, acolhidos pela Fundação Sahara Occidental na “Casa dos Heróis”.

Será instalada no pátio da Assembleia, uma tenda típica saharaui “jaima Zemla” Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Ministerio da Administração Interna de Espanha “desconhece” fronteiras

Após a publicação na página do Ministério da Administração Interna de uma noticia sobre uma operação conjunta das autoridades marroquinas e espanholas onde erradamente era mencionada a costa de Dakhla no Sahara Ocidental como sendo costa marroquina a CEAS enviou uma carta de denúncia e protesto (http://ceas-sahara.es/spip.php?article1393) exigindo que a noticia seja retificada de acordo com o mapa oficial da ONU.

A 5 de Março deste ano a Frente POlISARIO emitiu um comunicado onde Diz que a RASD e Frente Polisario enquanto legitimo representante do povo saharaui, tomou medidas para proteger os recursos da sua zona marítima ao submeter ao Secretário Geral das Nações Unidas as coordenadas geográficas e cartas que ilustram os limites exteriores das 200milhas náuticas da sua zona económica exclusiva.

As zonas marítimas do Sahara Ocidental, incluindo a zona económica exclusiva, foram oficialmente declaradas em 2009 (ver: http://www.sadroilandgas.com/publicity.htm). Aproveitando a visita de Ban Ki Moon ao Sahara Ocidental em Março deste ano, o governo da RASD, tomou mais um passo ao entregar ao Secretário Geral das Nações Unidas, depositário da convenção das Nações Unidas da lei do Mar, as coordenadas e cartas que delimitam os limites exteriores da ZEE do Sahara Ocidental. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Activistas saharauis assinalam dia dos direitos humanos na prisão negra de El Aaiun

Ali Saadoni, Nouradin Elargoubi e Khaliehna Elfak, activistas saharauis que estão a aguardar julgamento na prisão negra de El Aaiun, assinalaram o dia internacional de direitos humanos com um protesto pacifico sentado no pátio da prisão.

O protesto tinha como objectivo assinalar o dia internacional dos direitos humanos e denunciar as condições degradantes da prisão e o facto que estão detidos juntamente com presos de delito comun.

Os activistas foram levados à direcção da prisão onde se encontram em reunião. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Criação de Associação de familiares de vitimas marroquinas de Gdeim Izik uma nova encenação de Marrocos

No dia 9 de Dezembro de 2016 o noticiário da cadeia de TV marroquina que transmite a sua emissão em El Aaiun, territórios ocupados do Sahara Ocidental, anunciou a criação de uma associação de familiares de vitimas marroquinas de Gdeim Izik.

Transcorridos 6 anos do desmantelamento brutal do acampamento de protesto não violento de Gdeim Izik, no qual a polícia e forças militares marroquinas atacaram dezenas de milhares de saharauis conforme é do conhecimento público e deteve milhares de saharauis, tendo torturado, sequestrado e mantido em detenção ilegal centenas deles.

Desses sequestrados, detidos e torturados, 25 civis saharauis foram julgados em tribunal militar em 2013. Acusados de vários crimes entre eles assassinato de agentes marroquinos, mas durante todo o julgamento nunca foram apresentadas evidencias dessas supostas vitimas, nem autopsias apesar de terem sido repetidamente exigidas pelos advogados presentes. O Julgamento foi uma farsa jurídica, uma encenação e nulo e inválido pelo quantidade de incumprimentos jurídicos do processo. Conforme atestam os vários relatórios emitidos pelos observadores internacionais e conforme foi reafirmado pelo grupo de trabalho para as detenções arbitrárias das Nações Unidas. Read more

Ayúdanos a difundir >>>