A Polisário prepara uma campanha para expulsar as empresas europeias que negociam no Sahara Ocidental

Gilles Devers, advogado da Frente Polisario

Fonte: Cadena SER

“Ou fazem um acordo connosco ou devem sair”, disse Gilles Devers, advogado da Frente Polisario.

A frase que excluí o Sahara Ocidental do acordo de pesca entre a União Europeia e Marrocos obriga à procura de soluções para os navios espanhóis. O Tribunal de Luxemburgo, a 21 de Dezembro emitiu em resposta a um recurso interposto pelo Conselho da União e a Comissão de para evitar o cancelamento do Acordo de Associação e liberalização com Marrocos. O texto foi salvo, mas para que isso acontecese os juízes tiveram de especificar que o seu enquadramento legal não se aplica ao Sahara Ocidental sem o consentimento específico da sua população.

“Nós não somos contra a exploração das pescas, mas queremos ser nos a controlar-la. Nós não queremos uma guerra econômica contra as empresas. Precisamos deles. Mas se quisserem fazer negócios no Sahara necessitam o acordo da Polisario “, disse à Cadena SER Giles Devers, advogado da Frente Polisario. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Uma delegação da Comissão da União Africana visita a RASD

Chahid El Hafed, 25/12/2016 (SPS)

Uma delegação da Comissão da União Africana chegou na sexta-feira aos acampamentos de refugiados saharauis no âmbito de uma visita de trabalho de três dias à República saharaui.

A Comissão da União Africana, encabeçada pelo Sr. Lázaro Mkapaombe, foi recebida em Shaheed El Hafed pelo ministro encarregado de Assuntos Africanos, Hamdi Mayara na presença de membros do Conselho Nacional Saharaui (CNS).

O Sr. Lázaro, disse que: “Esta visita insere-se no âmbito da discussão com a RASD sobre os desafios para a implementação de seus acordos com a UA e as formas e meios para superar esses desafios. É também uma oportunidade de capitalizar a experiência do Estado saharaui no domínio da gestão “.

Por sua parte, o Sr. Hamdi Mayara sublinhou que esta reunião permitiu discutir a preparação da próxima cimeira da União Africana, que terá lugar em Janeiro próximo e o tratamento do pedido de adesão à UA de Marrocos, que dependerá da disponibilidade para Marrocos a respeitar a Carta da União Africana, que estipula o respeito pelas fronteiras herdadas da era colonial. Read more

Ayúdanos a difundir >>>