Dois observadores norugueses expulsados e retidos por Marrocos

Hans Inge Alander y Diego A Vaula Foss

Hans Inge Alander e Diego A Vaula Foss

Hans Inge Alander e Diego A Vaula Foss, observadores da organização norueguesa changemaker, foram expulsos ontem do Sahara Ocidental pelas autoridades marroquinas e estão desde ontem à noite retidos no aeroporto de Casablanca, sem comida nem água.

Os dois observadores não têm bilhete de regresso para o seu país desde Casablanca visto que pensavam regressar a partir de Agadir.

Hans Inge Alander e Diego A Vaula estiveram como observadores internacionais no julgamento dos presos politicos saharauis de Gdeim Izik, acreditados pela Fundación Sahara Occidental.

Desde dia 21 de Janeiro mais de 50 observadores de várias organizações norueguesas foram expulsos pelas autoridades marroquinas de várias cidades do Sahara Ocidental e sul de Marrocos.

O reino Alauita quer vender a imagem de um país desenvolvido, moderno e democrático mas a realidade é muito diferente, o reino parece ser incapaz de sair da sua mentalidade mediaval e totalitária.

Às 23h30, de dia 25/01/2017 os dois noruegueses Diego Vaula Foss e Hans Inge Alander foram informados pelas autoridades marroquinas de que eram expulsos de Marrocos – provavelmente porque se encontraram com pessoas do Sahara Ocidental ocupado.

Um pouco depois das 22 horas, quarta-feira, hora local em Marrocos, Diego Vaula Foss e Hans Inge Alander desembarcaram no aeroporto de Casablanca depois de terem sido deportados com um vôo do Sahara Ocidental ocupado.

A deportação do Sahara Ocidental aconteceu, uma vez que, de acordo com a polícia, tinham pouco dinheiro, e que os multibancos na cidade não estavam a funcionar.

Em Casablanca, a dupla foi recebida pela polícia marroquina.

“Fomos despachados para Casablanca e disseram-nos para deixar o país o mais rápido possível”, escreveu Foss ao Comitê de Apoio da Noruega ao Sahara Ocidental às 23h40.

“Daremos mais informações quando não estivermos cercados pela polícia” disseram.

Ayúdanos a difundir >>>