Empresa dinamarquesa suspende importação de sal do Sahara Ocidental

O importador de sal Dinamarquês Dansk Vejsalt não vai continuar a importar sal de descongelamento da última colônia de África o Sahara Ocidental, disse a empresa à Afrika Kontakt numa reunião em 31 de janeiro.

Peter Kenworthy / Afrika Kontakt

“Esta é uma vitória importante para a população do Sahara Ocidental. Isso significa que a ocupação da colônia se torna um pouco menos lucrativa. Mas também é uma vitória para a Afrika Kontakt, pois continuamente pressionamos Dansk Vejsalt e seus clientes na Dinamarca “, diz Jens Bruun Madsen, do grupo do Sahara Ocidental da Afrika Kontakt.

A Afrika Kontakt esteve em contacto com a Dansk Vejsalt sobre a importação de sal de degelo do Sahara Ocidental desde 2013.

Em 2014, quatro municípios dinamarqueses decidiram abandonar um contrato para comprar sal de degelo do Sahara Ocidental através de Dansk Vejsalt depois que Afrika Kontakt informou os municípios de que o sal era do Sahara Ocidental e que o acordo violaria o direito internacional.

Outros municípios dinamarqueses optaram por manter acordos semelhantes, no entanto, a cadeia de supermercados Aldi continuou a vender sal de Dansk Vejsalt nos seus supermercados na Dinamarca.

O proprietário da Dansk Vejsalt, Stig Anthony disse que a empresa parou as importações do Sahara Ocidental “porque não queremos mais problemas em relação ao nosso sal de degelo”.

O diretor de Dansk Vejsalt, Kim Løth, também informou a Afrika Kontakt que a cooperação com a empresa americana Crystal Mountain Sel Sahara, com sede em Austin, havia sido encerrada, de acordo com Løth porque a Crystal Mountain Sel Sahara envia o seu sal de um porto no Sahara Ocidental.

Dansk Vejsalt já comprou seu sal da Crystal Mountain Sel Sahara, proveniente das minas de sal da mina Oum Dbaa a sul da fronteira marroquina-Sahara Ocidental.

No futuro a Dansk Vejsalt importará o seu sal da Tunísia.

Em violação do direito internacional

Esta decisão surge depois de o Tribunal de Justiça da União Europeia ter proferido em Dezembro uma sentença que concluiu que a última colónia da África, o Sahara Ocidental, não fazia parte de Marrocos e que os dois acordos de comércio livre entre a UE e Marrocos não se aplicam ao Sahara.

O comércio com produtos do Sahara Ocidental também viola o direito internacional, a menos que o povo indígena desse território beneficie e aceite o comércio, algo que os saharauis do Sahara Ocidental não têm.

Abba Malainin afirmou que “os saharauis nunca aprovaram a mineração de sal e a venda de sal no Sahara Ocidental”, afirmou Abba Malainin, representante da Dinamarca do movimento de libertação do Sahara Ocidental, a Polisario (que as Nações Unidas reconhecem como representantes legítimos dos saharauis).

O Sahara Ocidental foi colonizado por Marrocos há 40 anos, desde que os espanhóis deixaram o território em 1975.

Ayúdanos a difundir >>>