Julgamento de estudantes saharauis adiado pela sétima vez

O julgamento dos estudantes saharauis detidos em Oudaya, Marraquexe, foi adiado pela setima vez esta terça-feira, dia 14 de Fevereiro de 2017.

A nova data anunciada é dia 28 de Março.

Segundo informação de activistas e familiares os estudantes foram torturados antes da sessão de tribunal de hoje, apresentando feridas graves.

Os estudantes encontram-se assim detidos há de um ano sem julgamento, uma clara violacão da lei marroquina.

Recordamos que este grupo de 14 presos politicos já realizou várias greves de fome exigindo um julgamento justo e o respeito pela condições básicas e contra as torturas e maus tratos de que têm sido alvo desde a sua detenção arbitrária.

O tribunal tinha um forte aparato policial e membros dos serviço secretos marroquinos (DST).

Vários activistas vindos dos territórios ocupados e dezenas de estudantes foram para Marraquexe apoiar os estudantes. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Dastis promete ajuda a Marrocos, enquanto que a CEAS exige paralisar as exportações

O ministro de negócios estrangeiros espanhol, exalta a importância de Rabat sobre a possível abertura para a África, Alfonso Dastis, realizou a sua primeira reunião oficial em Rabat com o seu homólogo marroquino, Salaheddine Mezouar, durante a qual trocaram cumprimentos e nenhum fez menção ao elefante branco, ou seja, o acórdão do Tribunal de Justiça da União Europeia de 21 de Dezembro, que impede a exploração de produtos naturais do Sahara Ocidental. No entanto, Dastis Mezuar prometeu que a Espanha vai fazer todo o possível para defender os interesses de Marrocos na União Europeia.

Após a reunião, os dois ministros apareceram perante a comunicação social sem no entanto admitirem perguntas. Mezuar concorda plenamente com o ministro da Agricultura do seu país, Aziz Ajanuch no que respeita o acórdão do TJE: o seu país nunca aceitará por em questão nenhum dos acordos com a UE.

Recordamos que após a declaração do Comissário Europeu para a Acção Climática e Energia, Miguel Arias Canete, que reafirma a personalidade jurídica distinta e separada do território do Sahara Ocidental, o Ministério da Agricultura marroquino emitiu um comunicado em 6 de Fevereiro onde alertou que todos os obstáculos em matéria de acordos agrícolas e da pesca implicam o risco de que “o fluxo migratório de Marrocos (…) não se conseguir conter” e que irá recomeçar. Curiosamente, nesse mesmo dia, às 7:40 da manhã, 18 imigrantes africanos conseguiram entrar Melila através da cerca. Read more

Ayúdanos a difundir >>>