Acção de protesto pela libertação de presos politicos saharauis em Lisboa

Um grupo de cidadãos Portugueses solidários com os presos saharauis realizou, esta quinta-feira em Lisboa, uma acção de sensibilização, protesto e denúncia sobre a situação dos presos saharauis nas prisões marroquinas e denunciando os julgamentos ilegais e as duras e injustas sentencas impostas.

Francisco Raposo, um dos organizadores diz que com esta iniciativa, o grupo de cidadãos solidários com os presos de Gdeim Izik quer alertar a população e os media sobre os crimes cometidos por Marrocos contra estes activistas de direitos humanos e o povo do Sahara Ocidental e exige a liberdade para o grupo de Gdeim Izik e a prestação de cuidados médicos a estes presos assim como a libertação de todos os presos políticos saharauis e o reconhecimento do direito à autodeterminação e independência do Sahara Ocidental.

A acção decorreu numa das Ruas mais emblematicas de Lisboa, o grupo vestia T-shirts com marcas de sangue e fotos dos presos com descrição das torturas a que foram sujeitos. Read more

Ayúdanos a difundir >>>

Delegação de activistas saharauis recusa entregar identificação à autoridades de ocupação

Na madrugada de dia 16 de fevereiro uma delegação de activistas saharauis que tinham ido assistir ao julgamento dos estudantes saharauis, presos políticos em Marraquexe, foi obrigada a parar num posto de controle à entrada nos territórios ocupados.

Hmad Hamad vice-presidente da Codapso contou ao PUSL que estiveram retidos mais de uma hora antes de poderem entrar no seu país, na entrada de El Aaiun, no posto de controle. As autoridades de ocupação exigiam que lhes fossem entregues os documentos de identificação dos 4 activistas, Hmad Hamad, Abdelaziz Biay, Ahlil Asofi e Brahim Dahlil.

Os activistas recusaram entregar os documentos, não reconhecendo nenhuma autoridade aos policias marroquinos nos territórios ocupados. Quando um dos agentes disse a Hmad que eles tinham que entregar os documentos porque eram marroquinos, o activista respondeu: “Eu não sou Marroquino, sou Saharaui e esta identificação para mim não passa de um documento de viagem! A lei internacional é muito clara, o Sahara Ocidental não é Marrocos, somos um território ocupado!” Read more

Ayúdanos a difundir >>>