Inicia-se a terceira sessão do julgamento dos presos políticos Gdeim Grupo Izik

A terceira sessão do julgamento dos presos políticos de Gdeim Izik iniciou-se hoje, 13 de março, continuando a exitir graves erros processuais que tinham referenciados nas sessões anteriores.

Neste primeiro foram interrogados Mohamed Ayoubi and Mohamed Bani.

O início da terceira sessão, que será retomada amanhã, terça-feira, foi marcado pela participação de mais de trinta observadores internacionais, incluindo juristas, políticos e ativistas de direitos humanos.

Falando à porunsaharalibe.org Paloma Lopez, deputada da Izquierda Unida que assiste ao julgamento como observadora internacional lamenta que a retomada do processo tenha repetido as preocupações sobre o julgamento que havia no início do mesmo. Eles receberam relatórios de diferentes associações que, demonstram preocupações sobre a investigação da tortura e a falta de provas materiais e depois da sessão de hoje, comentaram que o processo não tem a objetividade que deveria ter. Também queria denunciar e condenar a detenção de um jornalista saharaui fora do tribunal. Promete continuar a trabalhar e observar o que pode acontecer no curso do julgamento, mantendo um nível de grande preocupação.

O jornalista preso referenciado por Paloma Lopez, é Mohamed Daddi, detido em Rabat enquanto fazia a cobertura do julgamento de Gdeim Izik para a RASD TV, um dos meios de comunicação saharaui nos territórios ocupados que trabalha na clandestinidade.

O jovem jornalista, de 24 anos, foi primeiro espancado por um grupo de marroquinos que estão fora do tribunal a transmitir o discurso de Hassan II durante a invasão do Sahara Ocidental e a insultar as famílias dos prisioneiros e mais de uma centena de saharauis que uma vez mais vieram expressar o seu apoio e solidariedade com os prisioneiros.

Em seguida, foi preso pela polícia marroquina, mas esta negou a sua prisão por várias horas.

Ayúdanos a difundir >>>